Os conflitos no campo e formas de coibir a violência agrária no Estado do Pará foi à pauta da sessão especial na Assembleia Legislativa do Pará, na segunda-feira (12). Proposta pelo deputado Edílson Moura (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos, a reunião foi concluída com a sugestão de criação de uma Comissão Mediadora de Conflitos Agrários e uma Comissão Permanente na Alepa para acompanhar os conflitos no campo.

Os conflitos no campo e formas de coibir a violência agrária no Estado do Pará foi à pauta da sessão especial na Assembleia Legislativa do Pará, na segunda-feira (12). Proposta pelo deputado Edílson Moura (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos, a reunião foi concluída com a sugestão de criação de uma Comissão Mediadora de Conflitos Agrários e uma Comissão Permanente na Alepa para acompanhar os conflitos no campo. Os deputados decidiram, ainda, enviar ao governo do Estado uma lista contendo o nome de pessoas ameaçadas de morte.

Serão pedidas, ainda, ao governador explicações sobre que providências foram tomadas para indenizar a família do sindicalista Dezinho, assassinado em 2000, em Rondon do Pará, e do governo Federal pedindo intensificação na fiscalização das ações de alguns órgãos federais na região, em especial o IBAMA. Para Edson Moura, “não é mais possível que o Estado do Pará continue entrando nas manchetes das mídias somente pela sua violência”, protestou.

Participaram da sessão especial os deputados estaduais, Carlos Bordalo  e Zé Maria (PT), Edmilson Rodrigues (PSOL), Celso Sabino (PTB) e o deputado federal Claúdio Puty (PT), sindicalistas e autoridades  dos governos federal e estadual.

Compartilhe!