Foto: Wagner Guimarães

Os integrantes da União Nacional de Taquigrafia Parlamentar e Judiciária (Unataq) participam do XXI Encontro Nacional de Taquigrafia Parlamentar e Judiciária para debater o trabalho da taquigrafia em tempos de pandemia. A reunião, realizada nesta quarta-feira (24), faz parte da programação da 24ª Conferência da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale).

Durante o encontro da Unataq, são realizadas diversas palestras que abordam a resiliência e a necessidade de adaptação diante de um mundo em pandemia; a taquigrafia e as sessões plenárias híbridas: sistema de teletrabalho; a importância da Lei de Acesso à Informação nos órgãos e instituições; as nuances da oralidade para a escrita; as consequências da Proposta de Emenda à Constituição 32 ao funcionalismo público; e o planejamento e a gestão estratégica para reinventar e ressignificar os serviços da taquigrafia.

A líder coach Helaine Bitencourt é uma das palestrantes convidadas para falar sobre a resiliência em tempos de pandemia. “Isso afeta não só o universo dos taquígrafos, mas também todo cidadão. Achamos muito importante abordar esse tema, porque uma das primeiras ações do pós-pandemia será lidar com a resiliência do ser humano para enfrentar e superar as adversidades”, disse.

A Presidente da Unataq, Marilanja Pereira, falou da expectativa do evento e sobre a importância do encontro. “Esse momento é ímpar, pois estamos muito distantes uns dos outros, por conta da pandemia. É importante também porque estamos ressignificando nossa profissão, pois passamos por situações que antes nós nunca tínhamos vivido, principalmente com relação ao teletrabalho, pois nosso trabalho é in loco, no plenário, para darmos fé pública ao que está acontecendo com relação aos discursos dos parlamentares”, explicou a presidente.

Taquígrafo há 36 anos, Marcius Fernandes destacou que durante a pandemia os profissionais de taquigrafia enfrentaram desafios. “A gente aprendeu muita coisa, e vimos que nosso trabalho presencial é muito importante, porque na falha técnica de um computador, na falha de um áudio, há dificuldade da degravação pelo taquígrafo. O taquígrafo registra a história, tudo o que acontece no dia a dia do Parlamento”, disse.

Fernandes também ressaltou a realização do encontro dos taquígrafos do Legislativo. “Todo ano, nesses eventos da Unale, a gente tem experiências importantes que trazemos. Debatemos assuntos interessantes como o que aconteceu durante a pandemia, dos trabalhos feitos em sessões online. Tudo o que possa agregar a categoria”, enfatizou o profissional, que é chefe da Divisão de Taquígrafos da Câmara Municipal de Aracaju e ex-presidente da Unataq.

No encontro dos taquígrafos, também há a realização do III Fórum dos Gestores – Explanação dos métodos tecnológicos usados em cada órgão e dinâmica do trabalho dos setores de Taquigrafia ante a nova realidade. Além disso, o encontro conta com a entrega do Prêmio Carlos Benedicto de Mérito Taquigráfico.

Conferência da Unale

Considerado o maior encontro legislativo da América Latina, a 24ª Conferência da Unale apresenta como temática central “Unale 25+ – Redesenhando os Caminhos do Parlamento”. Na edição de 2021, realizada na cidade de Campo Grande em Mato Grosso do Sul, a entidade completa seu jubileu de prata. Esta é a primeira vez que o evento acontece em formato presencial e online.

Por Evellyn Abelha