logo-final-premio-unale_fundo_tranparenteTodas as 27 Casas Legislativas do País já podem participar da primeira edição do prêmio Assembleia Cidadã. A disputa, dividida em três categorias: Gestão, Atendimento ao Cidadão e Projetos Especiais, irá premiar os vencedores com 20 mil reais cada, para expansão dos projetos. As inscrições estão abertas de 1º a 30 de outubro e devem ser realizadas no site da Unale.

Incentivar a modernização dos processos legislativos, o atendimento humanizado ao cidadão e a melhoria da sociedade como um todo, são os objetivos desta premiação. Os ganhadores serão escolhidos pelos participantes da 23ª Conferência Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (CNLE) e premiados durante o evento, que ocorre de 20 a 22 de novembro, em Salvador-BA.

“Queremos ver como as Casas Legislativas estão trabalhando para melhorar o atendimento ao cidadão, para inovar no serviço público e para humanizar e dar mais transparência nas atividades legislativas”, explica o presidente da Unale, deputado Kennedy Nunes (PSD-SC).

Para participar, as Assembleias Legislativas devem preencher formulário e informar os objetivos, metas cumpridas, relatórios de atividades e proposta de ampliação, caso ganhe o recurso do prêmio. Outro material obrigatório é o vídeo de apresentação do projeto, com 60 segundos, para apresentação dos classificados durante a CNLE.

Cada Casa poderá inscrever apenas um projeto em cada categoria. A comissão avaliadora irá selecionar três finalistas em cada categoria. Além do dinheiro, cada premiada receberá um troféu transitório e o direito de usar o selo Assembleia Cidadã.

CATEGORIAS

GESTÃO: premiará o melhor trabalho que trate dos processos que visem a diminuição do custo nas atividades do parlamento;

ATENDIMENTO AO CIDADÃO: premiará o melhor trabalho para as iniciativas e ações que levem diretamente atendimento ou serviço, prestados pela Assembleia Legislativa, ao cidadão;

PROJETOS ESPECIAIS: premiará o melhor trabalho que trate diretamente da vida do cidadão, fora das ações normais do parlamento.

 Marina Nery / Ascom Unale

 

 

Compartilhe!