O presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), deputado José Luís Tchê (PDT/AC), manifestou seu contentamento com a decisão do presidente do Congresso Nacional, senador José Sarney (PMDB/AP), que pretende criar uma “comissão de notáveis” para rediscutir o pacto federativo, que, em sua opinião, “está cada vez mais esgarçado”.

sarney_tche78
O presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), deputado José Luís Tchê (PDT/AC), manifestou seu contentamento com a decisão do presidente do Congresso Nacional, senador José Sarney (PMDB/AP), que pretende criar uma “comissão de notáveis” para rediscutir o pacto federativo, que, em sua opinião, “está cada vez mais esgarçado”.

A  Unale protocolizou ofício no Senado, em que destaca o teor da nota “Federação”, do jornalista Luiz Carlos Azedo, publicada em sua coluna desta sexta-feira (3), no jornal Correio Brasiliense, segundo a qual o “presidente do Congresso Nacional, o senador José Sarney, do PMDB-AP, pretende criar uma comissão de notáveis para rediscutir o pacto federativo, que cada vez mais é esgarçado”.

No ofício assinado pelo presidente Tchê, a Unale destaca a “iniciativa tão louvável, partindo de Vossa Excelência, cuja longa trajetória política assegura completo conhecimento da aflição atualmente vivida pelos governos estaduais e municipais, tem o nosso imediato e permanente apoio”.

“Em nome da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), das 26 Casas Legislativas, da Câmara Distrital e dos 1059 parlamentares estaduais, cumprimentamos Vossa Excelência pela iniciativa e afirmamos que a revisão do pacto federativo tem sido a prioridade da nossa entidade, que possui uma Comissão Especial de Estudos e Desenvolvimento da Campanha em Defesa do Pacto Federativo, que está a vossa inteira disposição”.

José Luís Tchê lembra que o tema tem sido fonte de constante preocupação da entidade que, inclusive, se prepara para lançar, em breve, uma campanha nacional para  mostrar aos brasileiros as distorções existentes nas relações entre a União, os estados e os municípios. Ainda no ano passado, a Unale criou uma Comissão Especial destinada a promover campanha, cujo trabalho é coordenado pela deputada carioca Aspásia Camargo (PV/RJ).

O presidente da Unale, José Luís Tchê (PDT/AC), considera “oportuno” o momento para debater o assunto e levar informações à população. Ele lembra que a União arrecada R$ 1,5 trilhão em impostos (R$ 7,5 mil por cada cidadão brasileiro) e os governadores e prefeitos são obrigados a ir a Brasília “de pires na mão para trazer recursos para os seus estados e municípios”.

Compartilhe!