whatsapp-image-2019-11-21-at-15-44-29-300x200O secretário de Turismo do Estado de São Paulo, Vinícius Lummertz, foi o expositor do painel que teve como tema “O desenvolvimento de políticas públicas tendo o cidadão como foco”. O evento faz parte da programação da 23a Conferência Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (CNLE) em Salvador.

Em sua palestra, o secretário falou da experiência de São Paulo no setor do turismo e do potencial do setor no país para geração de emprego e renda. Lummertz lembrou que, em 2018, um em cada quatro empregos foi gerado por turismo no mundo. No caso do Brasil, o gestor apontou que há potencial para receber empreendimentos de grande porte, como resorts, marinas e cassinos, mas é subutilizado. “O turismo reúne 52 áreas diferentes com potencial para geração de emprego”, explicou.

De acordo com Lummertz, algumas premissas básicas devem ser adotadas para se implementar um política pública com o intuito de impulsionar o desenvolvimento. “É preciso criar marca forte, envolver todos os atores, todos defendendo a mesma ideia. Tem que mostrar a personalidade, a veracidade, a verdade das marcas”, indicou.

Para o titular da pasta de Turismo paulista, também é necessário ter um propósito com ênfase nos resultados. “Outra questão é o alinhamento de gestão pública e privada, o fazer junto para fazer melhor. É importante manter a coerência ao longo do tempo”, explicou.

Lummertz apresentou dados obtidos em São Paulo no turismo e na economia com a política de redução de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) sobre o querosene.

“Obtivemos mais de 700 novas frequências semanais, ativação da economia interligando 21 aeroportos em todo o estado. Houve a reforma de seis aeroportos e tivemos a conectividade como indução do desenvolvimento”, listou o secretário, indicando ainda a implantação do programa Stopover,
que é que uma parada no meio da viagem para que o passageiro possa passar um tempo em uma cidade de conexão de forma voluntária.

Ainda de acordo com o palestrante, o conjunto de políticas adotadas conseguiu captar mais visitantes e “ativou a economia sem apenar o turista, oferecendo uma modalidade que não estava presente no Brasil”.

Aparecido Silva / Ascom ALBA
Compartilhe!