A articulação dos profissionais envolvidos na proteção e tratamento de pessoas vítimas de violência, sobretudo crianças, adolescentes, mulheres, idosos e deficientes, foi debatido na terça-feira (30), em São José. O evento ocorreu no Centro de Educação Municipal Professora Maria Iracema Martins de Andrade.

No primeiro semestre, segundo levantamento do governo de Santa Catarina, foram registrados 41 estupros e 1334 lesões corporais no município. A secretária de Segurança, Defesa Social e Trânsito, Andréa Pacheco, considera que a situação é mais grave. “Por não confiarem na polícia, medo ou por terem ligação de parentesco com o agressor, mulheres, idosos e crianças não fazem ocorrência”.

Um dos focos do seminário foi a importância da notificação da violência doméstica e sexual. As autoridades querem trabalhar a questão junto à população para formar um mapa mais detalhado da violência na região, o que permitiria direcionar melhor os esforços em prevenção e repressão.

Fonte: ALESC
Foto: Fábio Queiroz

Compartilhe!