Search
Close this search box.

A passagem do Dia Nacional e Internacional do Idoso, comemorado em 1º de outubro, marcou o início de uma série de atividades promovidas pelo governo do Estado e prefeituras municipais visando à saúde dos idosos, parcela da população que, segundo o IBGE, já corresponde a 10,5% da população catarinense. O foco das autoridades de saúde é a prevenção de acidentes domésticos, principal causa de internação hospitalar entre as pessoas da terceira idade.

De acordo a Secretaria de Saúde, as quedas estão entre as maiores causas de internações entre as pessoas com 60 anos ou mais, camada da população que já se aproxima de 700 mil em todo o estado. Todos os anos, cerca de 1.200 idosos procuram os hospitais do Estado somente devido a fratura de fêmur. Destes, 50% adquirem seqüelas que prejudicam a locomoção e 20% vão a óbito seis meses depois em decorrência do acidente.

Para reverter este quadro, a Secretaria deflagrou a campanha “Envelhecer Com Saúde Prevenindo Quedas” visando difundir informações para a melhoria da qualidade de vida na terceira idade. A meta, de acordo com o secretário adjunto da Saúde, Acélio Casagrande, é reduzir as taxas de internação hospitalar por fratura de fêmur para 2% ao ano para esta faixa etária. “Equipes do programa Estratégia Saúde da Família estão visitando as casas para levar orientações sobre a necessidade da adoção de medidas de prevenção e para a realização do exame de densiometria óssea, importante para o diagnóstico prematuro da osteoporose”.

A visita das equipes, que incluem médicos, enfermeiros e agentes comunitários, tem ainda como objetivo realizar um levantamento do número de idosos por município, dado que servirá de base para o agendamento dos exames. Em uma segunda etapa, explicou Casagrande, as equipes do programa trabalharão a humanização do tratamento junto às unidades hospitalares. “Os idosos têm a garantia de acompanhante em caso de internação, direito que precisa ser observado pelos hospitais”, disse. Outras medidas incluem o estabelecimento de parcerias com escolas, grupos de convivência e conselhos municipais do idoso e a distribuição de material informativo nos postos de saúde.

Fonte: ALESC

Compartilhe!