Entre os dias 15 e 26 de abril, Santa Catarina vai participar da 15ª edição da Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza, que neste ano tem o slogan “Quem lembra da vacina se protege da gripe”. A Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina vai disponibilizar 1,6 milhão de doses à população nas unidades de saúde em todo estado. A novidade deste ano é a inclusão do grupo de doentes crônicos na campanha, uma iniciativa dos estados do Sul do país junto ao Ministério da Saúde.

Segundo o diretor da Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive), Fábio Gaudenzi, o grupo das pessoas com doenças crônicas já recebeu a vacina, porém, não era alvo da campanha, o que reduzia o número de pessoas imunizadas e com alto risco de infecção. “Fizemos um estudo e descobrimos que 85% dos pacientes que vieram a óbito devido à influenza não tinham recebido a vacina, mesmo estando no grupo de risco. Por isso, os estados do Sul, que têm maior incidência da doença, solicitaram esta inclusão na campanha deste ano”, explica.

Gaudenzi ressalta que Santa Catarina foi o segundo estado que mais vacinou, proporcionalmente, sua população no ano passado, porém teve o maior número de óbitos. “Isso prova que a vacina é apenas um dos pilares da prevenção, que deve ser aliada à higiene das mãos e etiqueta da tosse e a medicamentos. Ninguém acredita que a gripe é grave”, alerta o especialista. Em 2012, o estado registrou 76 óbitos por influenza tipo A – H1N1 e mais nove por outros tipos do vírus da gripe, que são mais de cem.
Imunização gratuita

A expectativa da Dive é imunizar pelo menos 1,2 milhão de pessoas neste ano. Além dos doentes crônicos, a campanha é dirigida às pessoas com mais de 60 anos, gestantes, crianças de seis meses a dois anos incompletos, trabalhadores da área da saúde, indígenas e a população carcerária. Todos os indivíduos desses grupos vão receber a dose gratuitamente, em qualquer unidade básica de saúde do SUS. Quem tem doença crônica deve apresentar um atestado médico com a prescrição da vacina ou fazer parte dos cadastros do SUS. Para as gestantes, basta declarar verbalmente a gravidez.

O diretor da Vigilância Epidemiologia informa que para adiantar o processo de emissão de receitas médicas aos pacientes dos grupos de risco, a Dive fez uma parceria com o Conselho Regional de Medicina para informar aos médicos de todo o estado sobre esta necessidade e urgência. Gaudenzi esclarece também que as únicas contra-indicações para a vacina da gripe são aos pacientes que apresentaram processos alérgicos em doses anteriores e àqueles com alergia à proteína do ovo.

Atenção aos sintomas
A febre alta associada aos sintomas principais da gripe é determinante para indicar a gravidade no quadro de infecção respiratória causada pelo vírus. Este quadro de baixa imunidade favorece o surgimento de pneumonias bacterianas que podem levar a óbito. O paciente deve procurar imediatamente o tratamento médico.

O “Dia D” da campanha de vacinação contra a gripe deste ano será em 20 de abril (sábado). Em todo país, serão distribuídas 40 milhões de doses da vacina. As pessoas que se incluem nos grupos de risco, devem procurar uma unidade de saúde para receber a dose.

Fonte: Agência ALESC

Compartilhe!