A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul iniciou na última quarta-feira  (24) a programação comemorativa do cinquentenário do Movimento da Legalidade, promovida em conjunto com o governo do Estado. As atividades visam relembrar o período de 25 de agosto a 7 de setembro de 1961, após a renúncia do presidente Jânio Quadros, em que o então governador do RS, Leonel Brizola, liderou uma campanha para que o vice-presidente eleito, João Goulart (Jango) tomasse posse.
A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul iniciou na última quarta-feira  (24) a programação comemorativa do cinquentenário do Movimento da Legalidade, promovida em conjunto com o governo do Estado. As atividades visam relembrar o período de 25 de agosto a 7 de setembro de 1961, após a renúncia do presidente Jânio Quadros, em que o então governador do RS, Leonel Brizola, liderou uma campanha para que o vice-presidente eleito, João Goulart (Jango) tomasse posse.

A programação principal ocorre até o dia 5 de setembro, mas outras ações serão realizadas até o mês de novembro. Desde o início do ano, duas comissões, uma designada pelo Parlamento e outra pelo Palácio Piratini, trabalharam na organização de um cronograma de eventos, que inclui exposição fotográfica, debates, lançamento de obras literárias, apresentação de filmes e shows musicais.

O Parlamento gaúcho promoverá sessão comemorativa na próxima quarta-feira (31), com a outorga da Medalha alusiva ao Cinquentenário da Legalidade a deputados e protagonistas do Movimento. Também haverá, na próxima semana, três debates, realizados no Memorial do Legislativo, que reunirão historiadores, jornalistas e personagens que vivenciaram os fatos em 1961. Os encontros terão como temas “Democracia e Liberdade de Imprensa” (30), “Três Visões da Legalidade” (31) e “Os Deputados Gaúchos na Legalidade” (1º).

Compartilhe!