whatsapp-image-2018-10-24-at-14-53-30Na tarde desta quarta-feira, 24, a equipe da Unale se reuniu para deixar no posto de arrecadação lenços que irão servir para levar mais alegria a quem precisa. A ação faz parte da campanha “Doe Lenços”, realizada durante todo o mês de outubro em alusão ao Outubro Rosa, promovida pelas secretarias de Saúde e Mulher da entidade, em parceira com as 27 Casas Legislativas.

O diretor-geral da entidade, Germano Stevens, destacou que é muito importante chamar atenção para a conscientização desta doença. “É crucial que a população se atente aos sinais iniciais do câncer de mama, que tem até 95% de chance de cura se descoberto precocemente e o autoexame é um ato que pode salvar muitas vidas”, disse. Stevens disse que a 2ª edição da campanha Doe Lenços pretende disseminar ainda mais as informações sobre o câncer de mama por todo o Brasil.

Na 1ª edição da campanha, que foi realizada ano passado, foram arrecadados cerca de 2000 lenços, e contou com a participação de diversas Assembleias. Neste ano, alguns estados também já estão engajados, dentre eles: Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

Em Brasília, a entrega dos lenços será realizada no dia 6 de novembro, para a Rede Feminina, do Instituto Hospital de Base da cidade.

Câncer de mama

O câncer de mama é a multiplicação de células anormais da mama que formam um tumor. Existem variados tipos de câncer de mama, porém alguns deles se desenvolvem de maneira mais célere e outras de maneira mais lenta.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), até no ano de 2016 a doença provocou cerca de 16.254 mortes no Brasil, sendo 185 homens e 16.069 mulheres, e estima-se novos 59.700 casos de câncer de mama no país, sendo um risco de 56,33 casos a cada 100 mil mulheres.

Vale lembrar que a doença também atinge o público masculino, porém com uma incidência menor. Estima-se que para cada 1000 mulheres com a doença, apenas 1 homem é acometido com o problema.

Camila Ferreira/ Ascom Unale

Compartilhe!