October Breast Cancer Awareness month, adult Woman in pink T- shirt and Pink Ribbon for supporting people living and illness. International Women, Mother and World cancer day concept

A Campanha Outubro Rosa surgiu para conscientizar a população sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama, segundo tumor maligno que mais acomete mulheres no mundo. Apesar de menos comum, homens também podem ter a doença.

Em 2020, o movimento se tornou ainda mais necessário. Uma pesquisa do Ibope e da Pfizer constatou que 62% das brasileiras interrogadas não realizaram exames ou compareceram aos especialistas durante a pandemia, o que faz aumentar o risco de casos graves, pois a doença pode ter uma origem assintomática.

“A maioria das mulheres com um câncer de mama muito inicial não vai sentir nada. Às vezes, quando sentirem, já são tumores maiores. Pensando nisso, é de vital importância que a mamografia seja realizada mesmo em quem não apresenta nenhum sintoma”, alerta a mastologista e ginecologista Danielle Miyamoto. A médica acrescenta que o “diagnóstico precoce faz com que os tratamentos sejam menos invasivos e com altíssimas taxas de cura”. A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) recomenda que mulheres façam o exame anualmente a partir dos 40 anos.

Apesar da característica silenciosa, Danielle explica sinais que indicam necessidade de alerta. Entre eles, estão os nódulos na mama, secreção do mamilo, retrações, alterações na pele, feridas e abaulamento.

Para possibilitar a detecção precoce da doença, a Lei estadual 16.760/2018, proposta pelo deputado Marcos Damasio (PL), autorizou a implantação de Centros de Alta Resolutividade (Care) em hospitais regionais estratégicos. Também tramita na Alesp o Projeto de Lei 1.236/2019, do deputado Cezar (PSDB), para obrigar hospitais estaduais a realizarem mamografias.

Fonte: ALESP