A quantidade de mulheres candidatas bateu recorde na eleição de 2022. Segundo dados do TSE, das 28.288 candidaturas registradas para concorrer a todos os cargos nestas eleições, 9.415 são de candidatas mulheres, o que representa pouco mais de 33% do total. São 211 candidaturas femininas a mais que na última eleição.

Apesar de representar 53% do eleitorado brasileiro, as mulheres ainda são minoria na representação política. O Brasil ainda é um dos países com o menor nível de representação feminina nos poderes legislativos e executivo do mundo.

Nas últimas eleições gerais, o número de candidatas mulheres foi de 9.204 (31,65%), contra mais de 19 mil homens, que eram 68,35% dos concorrentes ao pleito. Já em 2014, 8.123 eram mulheres (31,05%) e 18.038 (68,95%), homens.

O número de candidatas ainda está longe de espelhar a sociedade. O estado com a maior representatividade é o Rio Grande do Norte, com 194 mulheres (35,54% do total). Já a unidade da federação com menos candidatas é o Rio de Janeiro, com 868 mulheres (31,89%).

Vale ressaltar que a Lei nº 12.034 de 2009, determina o percentual de 30% e no máximo 70% para candidaturas por gênero. Até essa data, os partidos políticos poderiam apresentar somente candidatos homens. A mudança foi fundamental, para assegurar o direito de participação da mulher nos espaços de poder.

Por Danilo Gonzaga/Ascom Unale

Compartilhe!