O lançamento do Movimento Nacional da Juventude Pela Água, na noite desta terça-feira (22), na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, marca o  Dia Mundial da Água celebrado anualmente. Com as dependências do Auditório Antonieta de Barros lotadas, cerca de 500 jovens participaram do evento realizado em parceria com o Fórum para Preservação do Aquífero Guarani e das Águas Superficiais, do Parlamento, e o Fórum dos Comitês de Bacias do Estado.

Promovido pelo Parlamento Nacional da Juventude pela Água (PNJA) e da ONG Líderes do Amanhã (LDA), a comemoração conta com a participação do World Youth Parliament for Water (WYPW) e movimentos brasileiros ligados à juventude. À frente da presidência do Fórum, deputado Padre Pedro Baldissera (PT), participou do encontro. Ao destacar a importância da juventude apoiar o debate acerca dos recursos hídricos, o parlamentar pontuou que Santa Catarina tem uma realidade complexa, de atraso em relação a planejamento e ao investimento na preservação dos mananciais hídricos.

De acordo com o parlamentar, em mais de 10 anos de trabalho do Fórum para Preservação  do Aquífero Guarani e das Águas Superficiais, foi possível realizar seminários, simpósios e debates em diversas regiões do Estado, com especialistas tratando do tema diretamente com a população. “A partir dessa atividade as pessoas ouvem os dados, mostram-se alarmadas, e abrem os olhos para a urgência de agir. Esperamos que o vigor e a capacidade de mobilização dos jovens consiga muito mais. Que possa fazer meninos e meninas fortalecer essa causa de abrir os olhos do mundo para um futuro preocupante, que já bate à nossa porta”, frisou.

Entre os convidados do debate, Thaianna Cardoso falou em nome da PNJA. Segundo ela, desde 2012, o Dia Mundial da Água é celebrado por movimentos e grupos de jovens no Estado. Cadastrada na Organização das Nações Unidas (ONU), a iniciativa é de extrema relevância para o mundo, no que tange o uso da água, porém são poucos os avanços e propostas. “Além da programação tradicional, a ideia é criar um movimento em todo país, alertando para a gravidade da gestão hídrica no Brasil e no mundo. Buscamos envolver a participação qualificada dentro dos comitês e preparar os jovens empoderados para esse desafio do cuidado para com a água.”

Entre os temas que marcaram encontro, o Fórum Mundial da Água, que o Brasil sediará em 2018, foi um dos pontos abordados. A intenção é focar uma agenda para evento, que visa o empedramento de jovens e a participação social voluntária junto aos comitês de bacias hidrográficas e proteção das águas de nosso país.

Pela primeira vez no Brasil, a doutora Mary Shuttleworth, fundadora e presidente da Youth For Human Rights International, participou do debate. Nascida na África do Sul, Mary trouxe em sua bagagem a realidade de discriminação, problemas sociais e ambientais por todo mundo. Com uma agenda global, abrangendo mais de 70 países, Mary contribui com o debate através do seu trabalho realizado no mundo inteiro.

Fonte: ALEAC

Compartilhe!