São Paulo – A presidenciável Marina Silva (PSB) afirmou que o represamento de preços para segurar a alta da inflação, feito pelo governo da presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT), é uma “irresponsabilidade para o Brasil” e tem que ser resolvido pela própria petista.

Em entrevista ao jornal “Bom Dia Brasil”, da TV Globo, gravada nesta quarta (24) e exibida nesta quinta-feira (25), a pessebista foi questionada sobre como resolveria a situação em um eventual governo e respondeu que sua adversária “tem que assumir a responsabilidade”.

“A presidente Dilma já está pondo a mão/consciência. Ela é a presidente da República, ela tem que resolver esse angu de caroço que colocou o Brasil, manipulando os preços administrados para ter bons resultados frente a inflação – e, mesmo assim, ela está alta– para ganhar dividendos políticos”, criticou.

Marina afirmou que, se eleita, teria como meta uma inflação de 4,5%. Há dez dias, o coordenador econômico da campanha do PSB, Alexandre Rands, foi desautorizado p/candidata ao defender percentual mais alto. Segundo ele, é “hipocrisia” almejar 4,5% se o governo trabalhava sempre c/teto/meta, de 6,5%.

A ex-senadora voltou a criticar Dilma quando foi indagada c/atingiria o objetivo.

“Uma medida importante não será tomada por mim, será tomada pela sociedade brasileira. Escolher um presidente da república que recupere a credibilidade para que esse país volte a ter investimento”, disse, acrescentando que o Brasil precisa de “confiança e credibilidade” que “só será possível em um governo com legitimidade” e que não se “aventure em política econômica”.

Marina propõe a criação, por lei, de um “Conselho de Responsabilidade Fiscal”, que averigue as contas do governo e ajude a dar eficiência à gestão.

Segundo a última pesquisa Datafolha, a pessebista tem 30% das intenções de votos, atrás/Dilma, com 37%. Em 3º, o tucano Aécio Neves está com 17%.

Publicado na Folha de São Paulo em 25/09/14

Compartilhe!