Sofia Fernandes

BRASÍLIA – O país registrou o menor saldo de criação de vagas de trabalho com carteira assinada para julho desde 1999.

O total de empregos formais gerados no mês foi de 11.796, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (21) pelo Ministério do Trabalho.

O saldo de criação de vagas é 71,5% inferior ao de julho do ano passado, quando foram geradas 41,5 mil vagas.

O resultado de junho já havia sido ruim. Naquele mês, o total de vagas criadas (25.363) foi o pior para o mês desde 1998.

De janeiro a julho, foram criados 632,2 mil novos postos no país. Os dados fazem parte do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

O número de julho é a diferença entre 1,746 milhão de contratações e 1,735 milhão de desligamentos.

Para o ministro do Trabalho, Manoel Dias, o país chegou ao “fundo do poço”, mas a partir de agosto haverá uma retomada do ritmo de criação de empregos.

Ele defendeu que o país continua criando vagas, ao contrário de muitos países no mundo, que sofreram forte impacto no mercado de trabalho em decorrência da crise.

Publicado na Folha de São Paulo em 21/08/14

Compartilhe!