Os adolescentes de Itabira (Região Central do Estado) que participam da edição 2015 do Parlamento Jovem de Minas estiveram esta semana na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) como parte do projeto que atua na formação política dos jovens. O grupo participou de uma visita guiada que passou pelo Memorial da Assembleia, pelo Plenário e pelas comissões.

O que mais chamou a atenção dos jovens foi a manifestação de alguns grupos em reivindicação em diversas áreas da Casa. “Isso é importante: participar, reivindicar. Mas acho que as pessoas deveriam aproveitar mais essas oportunidades para escutar também, para ouvir o que os deputados têm a dizer”, avaliou Emanuelle Araújo, 17 anos, estudante do 3º ano. Para ela, o Parlamento Jovem é essencial para a preparação dos estudantes. “Aos 18 anos somos forçados a participar da vida política, pelo menos nas eleições”, disse.

Participante da edição 2014 e atualmente um dos coordenadores municipais do trabalho, João Lucas, 18 anos, afirma que o projeto o ajudou a entender a política de forma global, a saber o que é responsabilidade de cada ente federativo e o que faz um parlamentar, por exemplo.

O conhecimento fez de João Lucas um articulador político, que hoje frequenta reuniões da Câmara Municipal de Itabira e participou, por exemplo, do Observatório Jovem de Políticas Públicas Municipais. “O Parlamento Jovem nos aproxima da política e nos faz entender que políticos somos todos nós, cidadãos”, afirmou. Outra participante, Thaynara Gabriela, 16 anos, concorda. “Eu era mal informada, não sabia como funcionava o parlamento, como se formulava uma lei. Agora vou participar mais da vida política”, disse.

Na 1º plenária municipal de Itabira, Welton Herich, 17 anos, foi um dos coordenadores da mesa de trabalhos. “Apesar das divergências, cada um respeitou o espaço do outro falar e conseguimos aprovar boas propostas”, disse. Ele conta, ainda, que algumas das ideias consideradas boas tiveram que ser rejeitadas, porque havia um número limite de propostas e foi preciso priorizar – o que também foi um grande aprendizado.

Segurança e direitos humanos – O tema desta edição do Parlamento Jovem é Segurança Pública e Direitos Humanos e os estudantes estão ansiosos para verem suas propostas serem escolhidas e levadas até os parlamentares da ALMG. “O que eu mais queria que se transformasse em política pública é a questão da humanização da polícia, com treinamento adequado e uma atuação que não gere mais medo na população”, disse Emanuelle Araújo.

As plenárias municipais ainda estão em andamento em alguns dos 38 municípios participantes. Em agosto e setembro, serão os encontros regionais, e a plenária estadual será realizada no dia 23 de outubro em Belo Horizonte.

Fonte: Agência ALMG

Compartilhe!