A saúde mental é uma temática que tem atraído a atenção de especialistas como prioridade global de saúde e desenvolvimento econômico. E, com o foco de chamar a atenção e incentivar os debates para os temas da Saúde Mental e da Saúde Emocional na vida das pessoas, a Unale, sempre antenada às agendas nacionais, apresenta a campanha de conscientização “Janeiro Branco: Cuidar da mente é cuidar da vida”, que apresentará dados, informações e dicas sobre como cuidar da saúde mental.

A escolha do mês de janeiro para esta campanha é estratégica, pois é tradicionalmente marcado pela cultura do recomeço, da renovação. Costuma ser o mês no qual as pessoas repensam as metas de vida, fazem um balanço das suas ações, trazendo uma espécie de cobrança interna para realizar algo que faça os doze meses que se tem pela frente melhores do que os que passaram. Portanto, é uma página em branco, onde pode ser reescrita uma nova história.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) relatam que o Brasil é o segundo país das Américas com maior número de pessoas depressivas, equivalentes a 5,8% da população, atrás dos Estados Unidos, com 5,9%. A depressão é uma doença que afeta 4,4% da população mundial. O Brasil é ainda o país com maior prevalência de ansiedade no mundo (9,3%). A saúde mental representa mais de 1/3 da incapacidade total no mundo, com transtornos depressivos e ansiosos como maiores causas – os quais respondem, respectivamente, pela 5ª e 6ª causas de anos de vida vividos com incapacidade no Brasil.

Campanha Janeiro Branco

É uma campanha criada e promovida por psicólogos com o propósito de convidar a população a discutir a importância do cuidado com a saúde mental em busca de mais felicidade e qualidade de vida. O mês de janeiro foi escolhido, pois representa, simbólica e culturalmente, um mês de renovação de esperanças e projetos na vida das pessoas.

Criada em 2014, em Minas Gerais, a campanha conta com a participação de diversos profissionais que colaboram promovendo palestras, debates e vídeos informativos sobre a importância do Janeiro Branco. A conscientização já tem grande público em São Paulo, mais de 30 cidades de Minas Gerais e adesão de países como os Estados Unidos, Japão e Portugal.

Saúde Mental

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define o conceito como “um estado de bem-estar no qual um indivíduo percebe suas próprias habilidades, pode lidar com os estresses cotidianos, pode trabalhar produtivamente e é capaz de contribuir para sua comunidade”. Com isso, falar de saúde mental abrange a promoção de saúde, ou seja, é ter espaço para falarmos da subjetividade, das emoções e sentimentos.

Cuidados Necessários

O Ministério da Saúde (MS) reforça a importância de se ter hábitos saudáveis, tanto para o corpo quanto para a mente, e dá algumas dicas que podem contribuir com a qualidade de vida das pessoas: É recomendado conversar com pessoas de confiança, fazer exercícios físicos, investir em meditação, leitura, exercícios de respiração, artesanato; estimular ações compartilhadas de cuidado, evocando a sensação de pertencimento social, como as ações solidárias e de cuidado familiar e comunitário.

Ao perceber que precisa de ajuda ou caso identifique que alguém próximo precisa de ajuda, procure um profissional de saúde mental, como um psiquiatra ou um psicólogo, para uma avaliação.

Por Danilo Gonzaga/ Ascom Unale
Edição: Camila Ferreira

Compartilhe!