jose luis tche 4

O presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), José Luis Tchê, recebeu nesta terça-feira (26/07), a Comenda da Ordem do Mérito Ahanguera, a mais alta condecoração do Estado de Goiás. O evento ocorreu durante a transferência da capital para a cidade de Goiás. Na oportunidade, simbolicamente, a antiga capital do Estado se torna sede dos poderes Executivo.

 

O presidente da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), José Luis Tchê, recebeu nesta terça-feira (26/07), a Comenda da Ordem do Mérito Ahanguera, a mais alta condecoração do Estado de Goiás. A homenagem foi dada também a quatro governadores, 10 ministros (sendo sete de Estado e três do Superior Tribunal de Justiça), desembargadores, deputados estaduais e a outras personalidades de diversas áreas da sociedade por ações, méritos excepcionais e relevantes serviços prestados ao Estado. O evento ocorreu durante a transferência da capital para a cidade de Goiás. Na oportunidade, simbolicamente, a antiga capital do Estado se torna sede dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário goianos. A medalha foi entregue pelo governador do Estado, Marconi Perillo (PSDB).

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, Jardel Sebba (PSDB), destaca a importância do ato, que, segundo ele, promove o resgate da história de Goiás. “É um momento de reverência à nossa querida Vila Boa, berço político e cultural do nosso Estado, patrimônio cultural de toda a humanidade.”

Para o presidente da Unale, José Luis Tchê, o resgate da história é importante para o povo se conhecer. “Desde os tempos primitivos buscamos este autoconhecimento. É uma oportunidade de resgatarmos e homenagearmos os que construíram as cidades das quais desfrutamos hoje. É uma honra e uma grande responsabilidade receber esta homenagem. Como presidente da Unale vou me esforçar ainda mais para fazer jus a este mérito, no trabalho constante para o fortalecimento de todos os estados da federação e é claro do Estado de Goiás”, afirma.

A transferência da Capital para a Cidade de Goiás é uma homenagem à antiga Vila Boa, que acontece desde 1961 por decreto do então governador Mauro Borges, filho do interventor Pedro Ludovico Teixeira, que assinou o decreto que transformou o Palácio Conde dos Arcos em monumento histórico de inverno dos Governadores, bem como estabeleceu que, a partir daquele ano, no dia do aniversário da cidade (25 de julho), todos os governadores despachariam o expediente do governo na cidade de Goiás.

Desde então, durante dois dias, a cidade assiste à instalação do Governo Provisório, na última semana do mês de julho, passando a ser, simbolicamente, a capital do Estado. Nesses dois dias o governo estadual assina atos pertinentes à administração bem como homenageia personalidades de destaque nos contextos social, político e econômico de Goiás.

A cidade de Goiás, ou Goiás Velho, como também é chamada, guarda um patrimônio arquitetônico e cultural dos mais ricos do Brasil. Em 2001, seu centro histórico foi declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.

Goiás Velho – A cidade de Goiás, hoje conhecida como Goiás Velho, foi a primeira capital do Estado e surgiu da existência de um vilarejo chamado Arraial de Santana, fundado em 1727 por Bartolomeu Bueno, filho de Bartolomeu Bueno da Silva, o bandeirante conhecido como Anhangüera.

A cidade de 22 mil habitantes se encontra a 144 km de distância de Goiânia, a atual capital do Estado.Entre as principais atrações turísticas da cidade de Goiás Velho encontram-se antigas igrejas como as igrejas do Carmo (1756), de São Francisco de Paula (1761), de Santa Bárbara (1780) e de Nossa Senhora da Abadia (1790). No interior desses antigos templos religiosos destacam-se obras de influência barroca, pinturas do século XIX e trabalhos do escultor Veiga Vale, originário da cidade de Goiás. A igreja de Nossa Senhora da Boa Morte, construída em 1779, abriga atualmente o Museu de Arte Sacra da cidade, que exibe 36 dos 200 trabalhos em escultura atribuídos a Veiga Vale.

Receberam também a comenda:
Ministro da Justiça – Jose Eduardo Cardozo
Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimetno – Wagner Gonçalves Rossi
Ministro do Trabalho e Emprego – Carlos Roberto Lupi
Ministro da Previdência Social – Garibaldi Alves Filho
Ministro do Turismo – Pedro Novais Lima
Ministro da Integração Nacional – Fernando Bezerra de Souza Coelho
Ministro das Cidades – Mário Sílvio Mendes Negromonte
Governadora do Rio Grande do Norte – Rosalba Ciarlini Rosado
Governador de Roraima – José de Anchieta Júnior
Governador de Sergipe – Marcelo Deda Chagas
Governador do Tocantins –  José Wilson Siqueira Campos
Embaixador da China – Qiu Xiaoqi
Vice governador e presidente da CELG – José Éliton
Ministro do STJ – Massami Uyeda
Ministra do STJ – Laurita Hilárioi Vaz
Ministro do STJ – Antônio Carlos Ferreira
Presidente da Câmara Municipal de Goiânia – Iram Saraiva
Desembargador Presidente do TRT –  Mário Sérgio Botazzo
Deputado estadual (PDT-AC) e presidente da Unale – José Luiz Tchê
Procurador Geral de Justiça – Benedito Torres Neto
Desembargador Presidente do TRE – Rogério Arédio Ferreira
Conselheira Presidente do TCM – Maria Tereza Garrido
Secretária Nacional de Segurança – – Regina Maria Filomena de Luca Miki
Presidente do INSS – Mauro Luciano Hauschild
Deputado estadual da Bahia –   Ângelo Coronel
Deputado estadual da Bahia –  Elmar Nascimento

Compartilhe!