Search
Close this search box.

Medidas de flexibilização têm como parâmetro a marca de 80% de vacinados prevista por especialistas

O Fórum Nacional de Governadores, que congrega chefes dos 26 estados e do Distrito Federal, avalia a possibilidade de flexibilizar o uso de máscaras no País a partir de março. O grupo pediu uma análise técnica ao comitê científico que o assessora voluntariamente e destacou em seu calendário o dia 15 de março como data limite para que o país alcance a marca de 80% da população vacinada contra a Covid-19 e já acionou comitês científicos estaduais para estudar medidas de maior flexibilização.

Para o grupo, a meta será alcançada após o Carnaval, que vem sendo tratado pelos governadores como um possível último esforço em termos das maiores restrições para evitar aglomerações.

Os dados epidemiológicos pós-Carnaval serão analisados pelo Fórum Nacional dos Governadores, pelo Comitê Científico do Nordeste e pelas Secretarias estaduais e municipais de Saúde. Caso os dados sejam positivos há possibilidade de flexibilizar o uso de máscaras. Se houver aumento de casos, as restrições serão mantidas.

Embora a variante Ômicron tenha elevado o número de casos, a pressão sobre o Sistema Público de Saúde (SUS) foi menor do que em outros momentos da pandemia, dado os casos menos graves. A medida de liberação do uso de máscaras, se adotada, deve oficializar o que já se vê em muitas partes do país, com a fiscalização mais frouxa quanto ao equipamento de proteção e a adesão de cada vez menos pessoas ao seu uso.

Outro fator que contribui para que o país caminhe para o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras é que a sub variante da Ômicron, a BA.2, não tem mostrado sinais de impacto, nem no Brasil nem no mundo.

De acordo com o portal de acompanhamento da vacinação da Unale, mais de 176 milhões de pessoas já foram vacinadas com a primeira dose no Brasil, o equivalente a 82,90% da população do País, e cerca de 154 milhões estão totalmente imunizadas.

Por Danilo Gonzaga/Ascom Unale

Edição: Camila Ferreira

Compartilhe!