Parlamentares gaúchos se reuniram nesta quarta-feira (05) com os presidentes da Câmara Federal, Marco Maia (PT/RS), e do Senado, José Sarney (PMDB/AC) para apresentar as ideias de mais de 60 entidades do estado contidas no Manifesto Gaúcho em Defesa da Justiça na Partilha dos Royalties e pela sua não Devolução em Petróleo.

Parlamentares gaúchos se reuniram nesta quarta-feira (05) com os presidentes da Câmara Federal, Marco Maia (PT/RS), e do Senado, José Sarney (PMDB/AC) para apresentar as ideias de mais de 60 entidades do estado contidas no Manifesto Gaúcho em Defesa da Justiça na Partilha dos Royalties e pela sua não Devolução em Petróleo.

O Manifesto é subscrito por mais de 60 entidades gaúchas, entre elas a Assembleia Legislativa, governo do Estado, Federação das Associações dos Municípios e União dos Vereadores do Rio Grande do Sul, Tribunal de Contas e de Justiça, Ministério Público Estadual e Comitê Gaúcho em Defesa do Pré-Sal.

O presidente do legislativo gaúcho, Adão Villaverde (PT), analisou positivamente a decisão do Congresso de adiar a votação do veto da Emenda Ibsen por 20 dias. Para ele, a decisão “é uma tentativa de construir acordo em torno do projeto e autoriza, principalmente, os estados não produtores, como é o nosso caso, a abrirem um processo forte de discussão e negociação junto aos deputados e senadores”

A comitiva gaúcha é formada, também, pelos deputados Pedro Westphalen (PP), Gilmar Sossella (PDT), Miriam Marroni (PT), Adolfo Brito (PP), Catarina Paladini (PSB), Ana Affonso (PT), Jorge Pozzobom (PSDB), Lucas Redecker (PSDB), Chicão Gorski (PP), Ronaldo Santini (PTB), Frederico Antunes (PP) e Raul Carrion (PCdoB).

Compartilhe!