Integrantes da força nacional de segurança estão em Santa Catarina. O contingente vai atuar de maneira integrada com as forças locais de segurança, de acordo com o plano traçado e sob o comando do comandante da Polícia Militar em Santa Catarina, coronel Nazareno Marcineiro, para reagir aos atentados, que somam 100 ocorrências desde 30 de janeiro.

A cúpula da segurança pública não informou o número de homens deslocados pela Força Nacional de Segurança para esta operação. A função a ser desempenhada pelos integrantes também será mantida em caráter confidencial, para não prejudicar o planejamento da operação, conforme justificou o comandante da PM. Ele informou apenas que o número de profissionais destacados pelo governo federal para a operação “é mais do que suficiente para a atividade que será executada em Santa Catarina”.

O desembarque do primeiro grupo de integrantes da Força Nacional foi acompanhado pelas autoridades locais e pela secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, na base aérea de Florianópolis, no início da tarde.

Questionado sobre a demora do governo em aceitar o reforço oferecido pelo governo federal, o coronel Marcineiro afirmou que esta possibilidade em nenhum momento foi descartada. Com relação à paralisação dos ônibus em Florianópolis a partir das 19 horas, o comandante reiterou que a Polícia Militar continuará garantindo a segurança dos ônibus que estiverem em circulação.

Os ataques
Somando dois atentados a ônibus ocorridos na madrugada de sexta-feira, chegou a 100 o número de ocorrências registradas desde o início dos ataques, no dia 30 de janeiro. Conforme o balanço apresentado pelo secretário Grubba, entre as 100 ocorrências, 74 foram classificadas como atentados (as demais são vandalismo), 71 suspeitos foram presos e 22 menores apreendidos.

Fonte: ALESC
Foto: Jessé Giotti / Agencia RBS

Compartilhe!