A Unale, através de sua Comissão de Saúde, apoia a campanha Fevereiro Vermelho, mês de Combate às Drogas e ao Alcoolismo, com o objetivo conscientizar a população sobre o mal que as drogas e o álcool causam, não só ao organismo do usuário, como a toda sociedade.

O consumo de bebidas alcoólicas e outras drogas gera uma relação de dependência química, indo além do uso recreativo, e quando ligado ao tráfico ilícito de drogas ou à violência, se torna um mal comum que exige uma atuação reforçada do estado.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que a dependência em drogas lícitas ou ilícitas é uma doença. O uso indevido de substâncias como álcool, cigarro, crack e cocaína é um problema de saúde pública de ordem internacional que preocupa nações do mundo inteiro, pois afeta valores culturais, sociais, econômicos e políticos.

É notório que durante a atual pandemia de Covid-19 os brasileiros tiveram um aumento substancial no consumo de álcool e drogas. Levantamento feito pela Global Drug Survey (GDS) em 2020 e divulgado em 2021, demonstrou um aumento de 17,2% de maconha; 7,4% de cocaína e de 12,7% de benzodiazepínicos (ansiolíticos e hipnóticos), já em relação ao consumo de álcool, o aumento foi de 13%.

Uso excessivo de álcool

O álcool é uma substância que atua diretamente no sistema nervoso central e em todos os órgãos do corpo humano. O consumo excessivo do álcool é associado a mais de 200 problemas de saúde entre doenças hepáticas, acidentes rodoviários, violência, câncer, doenças cardiovasculares, suicídios, tuberculose e HIV / AIDS. Estudos da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) mostram que a maioria dessas mortes (64%) acomete pessoas com menos de 60 ano.

Prevenção

As ações preventivas devem ser planejadas e direcionadas para o desenvolvimento humano, o incentivo à educação, a prática de esportes, a cultura, o lazer e a socialização do conhecimento sobre drogas, com embasamento científico.
Em relatório divulgado pela BVS-APS, que reúne o Ministério da Saúde e o Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde, as estratégias de prevenção devem ser divididas em três níveis:

A prevenção primária que é feita para evitar ou retardar a experimentação de drogas, a prevenção secundária, focada em indivíduos que já experimentaram, visa evitar a evolução para dependência e a prevenção terciária que é feita por profissional da saúde, a fim de tratar a dependência.

Sistema Nacional de Proteção

O Governo Federal em parceria com o Escritório das Nações Unidas de Drogas e Crime – UNODC, implementou o Sistema Nacional de Proteção, que tem como objetivo sistematizar a prevenção, possibilitando a descentralização das ações; o mapeamento nacional e internacional de programas de prevenção ao uso de álcool e outras drogas com a melhor adequação ao cenário brasileiro.

Por Danilo Gonzaga/ Ascom Unale

Compartilhe!