Foto: Ney Xavier

Os integrantes da Federação Nacional dos Servidores dos Poderes Legislativos Federal, Estaduais e do Distrito Federal (FENALE),  participaram  do encontro da instituição, para debater sobre a PEC 32/220, mais conhecida como  “Nova Administração Pública”. A reunião, realizada nesta quarta-feira (24), faz parte da programação dos eventos simultâneos da 24ª Conferência Nacional da Unale.

Os participantes do maior encontro Legislativo da América Latina, puderam acompanhar de forma online e presencial toda a programação da palestra. Na abertura solene foi discutido sobre os desafios impostos pela pandemia e a caminhos enfrentados para se redesenhar o Parlamento.

O Presidente da FENALE, José Eduardo Rangel, destacou com veemência a sua recusa a  respeito da PEC 32/220, que altera dispositivos sobre servidores e empregados públicos  e modifica a organização da administração pública direta de qualquer dos Poderes da União.

“Essa peça além do desmonte do serviços, desestrutura carreiras e o fim de ingressos público. Temos Instituições, estruturas em associações e sindicatos, conclusiva e específica dos servidores públicos nas cinco regiões geopolíticas do Brasil”. Complementou Rangel.

Dando continuidade a palestra, foi realizado o “Pinga fogo” espaço que consiste no momento em que as entidades filiadas e parceiras da FENALE trocam experiências e relatam suas atividades em defesa da categoria, em especial as mudanças do Parlamento nas Assembleias Legislativas.

O evento contou ainda com a presença da Presidente da Unale, deputada Ivana Bastos, que foi homenageada com uma placa, devido a sua luta no combate à desigualdade sofrida pela mulher no cenário político, firmando a parceria de anos entre as instituições.

24ª Conferência Nacional da Unale

Com a temática central “Unale 25+ – Redesenhando os Caminhos do Parlamento”. O maior encontro Legislativo da América Latina promove debates sobre prol do desenvolvimento nacional.

Na edição de 2021, está sendo realizada na cidade de Campo Grande em Mato Grosso do Sul.

Por Danilo Gonzaga/ Ascom Unale