Estudantes do ensino médio do Colégio Estadual do Paraná produziram um relatório de quase 100 páginas no qual apontam os principais problemas ambientais do Paraná e enumeram ações que consideram imprescindíveis para enfrentar esses desafios. O documento foi entregue durante a sessão plenária da Assembleia Legislativa desta terça-feira (20): uma cópia ao presidente do Legislativo, Valdir Rossoni (PSDB), e outra ao presidente da Comissão de Ecologia e Meio Ambiente, Luiz Eduardo Cheida (PMDB).

Algumas sugestões apresentadas no relatório são: fiscalizar as leis ambientais com mais rigor, exigir das empresas projetos de sustentabilidade como condição para a obtenção de licenças, dar maior transparência aos atos públicos e mais espaço para a participação da sociedade e investir mais em educação ambiental. “Vamos ler atentamente o relatório e manter contato sobre as questões abordadas”, afirmou o deputado Cheida.

Histórico – Tudo teve início em maio último, quando o colégio recebeu uma audiência pública preparatória para a Conferência Rio +20, promovida pela Comissão de Ecologia e Meio Ambiente, que reuniu mais de 800 alunos. “Este debate foi o pontapé. A partir disso, os estudantes se aprofundaram nos pontos abordados no evento com pesquisas e visitas técnicas”, conta o professor de Sociologia Arthur Conceição, idealizador e coordenador do projeto.

A diretora do colégio, Laureci Rauth, explica que a iniciativa faz parte do projeto Escola Sustentável, que envolve desde o cuidado em aumentar a quantidade de alimentos orgânicos na merenda escolar e a coleta de lixo no colégio até a questão pedagógica dentro da sala de aula. “O colégio precisa trazer discussões como parte da formação dos nossos futuros dirigentes. Estamos cumprindo a nossa função de propor a transformação e cobrar do poder público ações efetivas em relação ao meio ambiente”. O Colégio Estadual do Paraná tem 7.100 alunos, do ensino fundamental e médio, profissionalizante e centro de línguas.
Fonte: ALEP

Compartilhe!