O retorno às aulas é um grande gargalo enfrentado mundialmente, e mais uma vez, as medidas adotadas divergem quanto as melhores e mais seguras alternativas para a nova realidade. Na maior parte dos estados brasileiros, o retorno está previsto para agosto. No entanto, alguns deles já têm analisado de que forma se dará este novo momento, sem que haja ainda mais prejuízos para a educação.

Na Bahia, terá início nesta terça-feira, 23, uma nova etapa no monitoramento da Covid-19. Serão feitos testes para detecção de infecções pelo novo Coronavírus em estudantes e professores da rede estadual de ensino, inicialmente em três cidades que registram pelo menos 1% da população contaminada pelo vírus.

A iniciativa visa fazer um diagnóstico dos alunos da rede, tendo acesso a dados como a quantidade de alunos, professores e servidores que tiveram a doença, obtendo assim uma pequena amostra do que está ocorrendo com esses estudantes, bem como com os servidores. Espera-se que essa triagem possibilite a elaboração de um plano mais assertivo de retomada das aulas.

Já no Maranhão, o governo estadual detalhou em entrevista, o procedimento do retorno das aulas presenciais, que mantiveram datas fixadas para o início de agosto. Segundo o governador Flavio Dino, os protocolos pedagógicos das escolas municipais serão definidos pelas prefeituras, enquanto nas universidades e faculdades privadas, os protocolos pedagógicos serão definidos pelos colegiados superiores. Outra medida anunciada, foi a possibilidade de oferta aos estudantes do 3º ano do Ensino Médio, se desejarem, fazerem o 4º ano do Ensino Médio em 2021, devido aos prejuízos estudantis causados pela pandemia.

Clique e acesse as informações e os destaques. 

Compartilhe!