Como a parceria com o poder legislativo tem gerado efeitos no trabalho que o Sebrae desenvolve? Foi com essa pergunta que Priscila Maria Lapa, analista da unidade de ambiente de negócios do Sebrae/PE abriu o painel “Cidade empreendedora e melhorias no ambiente de negócios” que aconteceu na manhã do dia 10 de novembro durante a 25ª Conferência da Unale, em Recife.

Para Priscila Lapa, o trabalho em conjunto com os parlamentos é muito importante para a facilitação da atividade empreendedora. “O Sebrae tem um trabalho muito focado na melhoria do ambiente de negócios e para isso precisa de parceiros, entre eles o poder legislativo, que cria os marcos legais que impulsionam as políticas públicas voltadas para o desenvolvimento local”, disse.

Entre os resultados desta parceria, a analista do Sebrae citou o Projeto Fala Pernambuco, em que a entidade ouviu empreendedores de todo o estado de Pernambuco e identificou as principais dificuldades e gargalos do setor. “Fizemos escutas dos setores produtivos e descobrimos os desafios para o ambiente de negócios. Contamos com a participação muito expressiva do presidente da Assembleia, deputado Eriberto Medeiros, que participou de todas as audiências regionais. A partir daí, levamos as demandas para o parlamento, que aprovou normas importantes como a mudança no prazo para licenciamento do corpo de bombeiros. Antes era anual e agora de três anos. E isso faz uma grande diferença na vida de quem empreende”, concluiu.

Além desse trabalho, a analista destacou o projeto Cidade Empreendedora, desenvolvido pelo Sebrae/Pe. que visa direcionar, acelerar e sustentar o processo de desenvolvimento socioeconômico local. Com 10 eixos de atuação, o programa tem simplificado de desburocratizado a vida dos micros e pequenos empreendedores em Pernambuco.

Para além das fronteiras do estado pernambucano, a parceria do Sebrae com os parlamentos no Brasil tem sido fundamental para a geração de emprego e renda no País. “As micro e pequenas empresas são as que mais geram e retêm empregos. Então, investir em políticas públicas para a melhoria do ambiente de negócios é investir em geração de emprego e renda”, conclui.

Por Jader Viana

Compartilhe!