O processo de elaboração de uma pesquisa eleitoral passa por algumas etapas, sendo elas:
• A encomenda do estudo;
• A escolha dos entrevistados que visam a escolha de um grupo de pessoas com caraterísticas que representam a população. São levados em conta fatores como idade, renda, gênero etc;
• A realização das entrevistas , onde são abordadas pessoas que possuem as características previamente definidas. A entrevista é realizada nos domicílios ou em locais com fluxo de pessoas;
• Checagem: o instituto responsável pela pesquisa entra em contato com 20% dos entrevistados para conferir se os dados estão corretos;
• Os resultados são analisados por meio de vários métodos estatísticos;
• Registro: a pesquisa deve, necessariamente, ser registrada cinco dias antes das eleições. Na documentação da pessoa física deve constar informações do contrato, contratante, valor pago, métodos e questionários utilizados e método utilizado;
• Registro: a pesquisa estará registrada na Justiça Eleitoral em até cinco dias antes da eleição.

É desta forma que as pesquisas norteiam e apontam para a população caminhos para que se possa elaborar estratégias de como vai funcionar e quais serão os fatores determinantes pessoais e coletivos.

Diferente de um Censo, em que toda a população é entrevistada, a pesquisa eleitoral seleciona apenas um número de pessoas, que servem de base para refletir toda a população.

A partir das pesquisas é que um partido define quem serão os candidatos, quais temas serão bordados na campanha, onde serão feitos comícios e ações de campanhas e quais serão as estratégias para transmitir a mensagem e trazer resultados para os candidatos e suas siglas.

Para os eleitores, as pesquisas norteiam sobre o perfil político e as estratégias publicitárias para divulgar as pautas dos candidatos, a diferenciação de propostas e podem ser um fator determinante no voto, refletindo o que o cidadão espera e deseja sobre um determinado processo político.

Por Hans Weinner/ Ascom Unale

Compartilhe!