Cuidar da vida de milhões de pessoas, através da boa gestão da política estadual, em especial na prevenção de doenças, é uma das missões da Unale. E Neste ano, a entidade por meio da Secretaria de Saúde, promove a campanha de prevenção ao vírus HIV e à AIDS, com o slogan: “Proteja-se e viva com saúde”, que objetiva reforçar a importância da prevenção do vírus, além de alertar sobre o risco de outras Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST).

A AIDS é uma doença grave que ainda não tem cura e se expande entre a população. Sem um tratamento adequado, a enfermidade, que precisa ser combatida, pode causar a morte. Segundo dados da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), em todo o Brasil, estima-se que existam 920 mil pessoas vivendo com o vírus da AIDS e cerca de 11%, ou seja, mais de 100 mil pessoas, podem estar contaminadas com o vírus e não sabem.

O diagnóstico precoce do HIV e o rápido início do tratamento reduzem as chances de complicações da doença. Este tratamento pode ser realizado a partir de exames de sangue e de testes rápidos oferecidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Os testes são feitos de forma rápida e prática e podem ser realizados em qualquer unidade de saúde por meio da coleta de uma gota de sangue ou com fluido oral. O resultado sai em tempo máximo de 30 minutos. O SUS também oferta o teste da sífilis e das hepatites B e C.

Diferença entre HIV e AIDS

HIV é o vírus causador da doença AIDS, que ataca o sistema imunológico e afeta a capacidade de o organismo se defender. O vírus altera o DNA das células de defesa, faz cópias de si mesmo e se multiplica no organismo, atacando ainda mais o sistema imunológico e continuando a infecção pelo corpo. Por outro lado, a AIDS é a manifestação do vírus HIV.

É possível, portanto, que a pessoa tenha o vírus, mas não desenvolva a doença. Ou seja, uma pessoa pode ser HIV positivo/soropositivo, mas não ser aidético. Vale ressaltar que há pacientes soropositivos que passam anos sem ter os sintomas e sem desenvolver a doença.

Campanha Dezembro Vermelho

No ano de 1988, o Ministério da Saúde, seguindo orientação da Organização das Nações Unidas (ONU), criou o Dia Mundial de Luta contra a Aids, celebrado sempre no dia 1º de dezembro, para conscientizar os brasileiros sobre a Aids e o HIV. Alguns anos depois, em 2017, o Governo Federal lançou a Lei 13.504, que institui a Campanha Nacional de Prevenção ao HIV e à Aids, movimento chamado popularmente de Dezembro Vermelho, que é a cor que simboliza a luta contra a doença e o respeito às pessoas soropositivas.

Com isso, a Unale apoia esta causa e promove campanhas que têm o objetivo de conscientizar a população sobre a doença, com a divulgação ampliada das informações adequadas sobre os métodos de prevenção e tratamento dessa epidemia no país.

Prevenção e tratamento

A única forma de prevenir a doença é através do uso de preservativos, assim como qualquer outra DST. Apesar de ainda não existir cura, a doença pode ser controlada, por meio de medicamentos fornecidos pelo SUS. O tratamento correto também pode ser usado como uma forma de prevenção muito eficaz, pois evita a transmissão do HIV por via sexual.

O tratamento adequado, e no momento oportuno, tem possibilitado que 92% dos pacientes com HIV/Aids em tratamento estejam atualmente com carga viral indetectável, reduzindo a chance de desenvolverem infecções oportunas ou até mesmo de transmitirem para outra pessoa. Por isso, hoje em dia o tratamento também é sinônimo de prevenção.

Por Danilo Gonzaga/Ascom Unale

Edição: Camila Ferreira

Compartilhe!