Search
Close this search box.

No encontro as lideranças cobraram uma imediata correção do investimento na saúde no Estado, que vem com uma defasagem histórica, sendo o catarinense o menos favorecido com recursos federais per capita. Para José Milton a reunião foi proveitosa. “Conseguimos neste encontro resultado positivo. Fomos informados a princípio que não há como reajustar o teto, porém, tivemos o compromisso de que serão refeitos os co ntratos com os hospitais catarinenses, de forma que os mesmos recebam pelos serviços prestados, um extra teto”, ressaltou Scheffer, argumentando que também foi acertada a ampliação, em um prazo de até dois anos, das redes de urgência e emergência para todo o estado.

Segundo o parlamentar espera-se que com esta repactuação, a Secretaria de Estado da Saúde tenha mais recursos federais para investimentos nos hospitais filantrópicos, assim como efetuar o pagamento por serviços prestados e os que ainda não foram pagos. Atualmente o déficit de Santa Catarina, mediante a diferença do teto, soma o equivalente a R$ 110 milhões/ano.

Estavam presentes os deputados federais, Décio Lima, Esperidião Amim, João Pizzolatti, Carmen Zanoto, Jorge Boeira, os estaduais, Darci de Mattos, Reno Caramori e lideranças.

Fonte: Assessoria do deputado
Foto: Jessen Peixoto/Unale

Compartilhe!