Pesquisa Datafolha, divulgada nesta quinta-feira (04), mostra o petista Fernando Pimentel, que lidera a disputa pelo governo de Minas Gerais, com oito pontos à frente do tucano Pimenta da Veiga. A vantagem de Pimentel diminuiu cinco pontos em relação à pesquisa anterior. O candidato do PT tem 32% das intenções de voto e o candidato do PSDB, 24%. Há duas semanas, antes do horário eleitoral, o petista tinha 29%, e o tucano, 16%.

Em terceiro lugar está o candidato do PSB, Tarcísio Delgado, com 3% das intenções de voto. Os candidatos Cleide Donária (PCO), Eduardo Ferreira (PSDC), Fidélis (PSOL) e Professor Túlio Lopes (PCB) aparecem com 1%, cada. Os indecisos, que eram 31% antes da propaganda eleitoral, agora somam 26%. 11% declararam que vão votar em branco ou anular o voto.

Na simulação de segundo turno entre Fernando Pimentel e Pimenta da Veiga, o petista aparece com 41% das intenções de voto e o tucano tem 28%. Votos nulos ou em branco são 9% e indecisos somam 21%. As taxas de rejeição se mantiveram estáveis em relação à pesquisa anterior: Pimenta da Veiga tem 13%, contra 9% de Pimentel.

Já em Brasília, o ex-governador José Roberto Arruda (PR), cuja candidatura foi cassada, continua na liderança ao governo do Distrito Federal com 34% das intenções de voto, segundo o Datafolha. A margem de erro é de quatro pontos percentuais, para mais ou para menos. Em segundo lugar aparece o governador Agnelo Queiroz (PT), com 19%, seguido por Rodrigo Rollemberg (PSB), com 13%, que estão tecnicamente empatados. Também em situação de empate técnico estão Toninho do PSOL (PSOL), com 4%, e o deputado federal Luiz Pitiman (PSDB), com 3%. Os demais candidatos somam 7%.

Em uma simulação de segundo turno, Arruda venceria Agnello, por 46% a 29%. Na disputa contra Rollemberg, por 42% a 36%.

A pesquisa é a segunda do Datafolha após o registro das seis candidaturas a governador no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em 5 de julho. Em comparação com a pesquisa anterior, divulgada em 13 de agosto, Arruda, Agnelo e Rollemberg oscilaram um ponto para baixo.

Agnelo Queiroz tem a maior rejeição (41%); Rollemberg e Perci, a menor (6%).

Publicada no O Globo em 04/09/14

Compartilhe!