A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada pela Assembleia Legislativa de Alagoas para investigar a alta do preço dos combustíveis e a qualidade do produto comercializado no Estado, ouviu, na segunda-feira (26), o presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do (Sindicombustíveis/AL), Carlos Henrique Toledo.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada pela Assembleia Legislativa de Alagoas para investigar a alta do preço dos combustíveis e a qualidade do produto comercializado no Estado ouviu, na segunda-feira (26), o presidente do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do (Sindicombustíveis/AL), Carlos Henrique Toledo.

O empresário negou a existência de cartel do setor. “Os postos têm custos e todos sabem da carga tributária desse País”, afirmou. Toledo explicou que a galonagem (quantidade de litros de combustível comercializado por mês) é outro fator preponderante na definição do valor cobrado aos consumidores.

O presidente da comissão, deputado Antonio Albuquerque (PTdoB), explicou que o colegiado está apenas iniciando os trabalhos e deverá ouvir várias outras pessoas ligadas ao setor. A CPI irá requisitar a apresentação de notas fiscais para comparar os preços cobrados e fazer um encontro de contas com Secretaria da Fazenda (Sefaz) e Receita Federal e confirmar o correto recolhimento de tributos, de acordo com a legislação.

A comissão é formada, ainda, pelos deputados Jeferson Morais (DEM), Nelito Gomes (PSDB), Marcos Barbosa (PPS) e Luiz Dantas (PMDB).

Compartilhe!