Os parlamentares integrantes da CPI da Telefonia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) relataram, na manhã desta quarta-feira (18), uma série de problemas com as empresas de telefonia enfrentados por eles e por cidadãos que têm entrado em contato com a comissão.

O deputado João Leite (PSDB), relator da CPI, citou um trabalho que recebeu por e-mail sobre os pontos cegos da telefonia nas rodovias do Estado. Segundo ele, isso tem facilitado um novo tipo de crime: o sequestro de motoristas e o roubo de cargas. “As transportadoras contratam, para segurança, um serviço de GPS que só funciona quando há sinal de celular, mas os bandidos já sabem onde esse sinal não existe e atacam justamente ali”, disse. O parlamentar defendeu que deveriam existir pelo menos 20 empresas de telefonia no Brasil para que a concorrência fosse justa e forçasse a melhora dos serviços.

O deputado Sargento Rodrigues (PDT) relatou que recentemente esteve em uma loja da empresa Vivo para contratar um Plano Controle e se surpreendeu por não conseguir que eles lhe dessem um contrato com os detalhes do serviço.

Fonte: Agência ALMG

Compartilhe!