Já na segunda reunião de trabalho da Comissão Nacional de Acompanhamento da Vacinação (Conav), na tarde desta quinta-feira (11), os membros da Pasta debateram as pautas que serão levadas à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em reunião agendada para terça-feira (16).

A mais importante delas é a aquisição do maior quantitativo de vacinas possível, no menor tempo, após a aprovação ontem (10) da Lei 14.124/2021, que flexibilizou a aquisição de imunizantes pelos governos e iniciativa privada.

Outra resolução importante foi proposta pelo presidente da comissão, deputado Rodrigo Delmasso (REP-DF), e aceita pelos demais. Assim nos próximos dias a CONAV enviará um ofício para governadores, prefeitos, Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde), para não suspenderem a vacinação nos finais de semana, quando houver insumos e principalmente quando o fluxo de vacinação aumentar, para evitar aglomeração, filas e agilizar a imunização.

“Aqui no Distrito Federal estamos em colapso. Com fila para entrar na UTI e apenas 1 leito disponível, até hoje de manhã”, disse Delmasso ao iniciar as explanações sobre os estados.

Ao falar sobre a Lei, o deputado Ângelo Almeida (PSB-BA), disse que “a sanção abriu um novo horizonte para todos os estados em colapso, sem leitos e que estão perdendo vidas”. Segundo ele, na Bahia, a Assembleia tem agendas com representantes de diversos seguimentos para alavancar os debates e trazer soluções céleres, inclusive para as pessoas com sequelas da Covid-19 e pediu que a Comissão também sirva para informar as pessoas “que ainda naturalizam e fazem pouco caso dessa doença”.

Já no Rio Grande do Sul, a comissão criada pela Casa de Leis, já aprovou diversas leis, como a que permitirá mexer na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), para obtenção de vacinas, além de estar em contato com outros órgãos e entidades para compra de equipamentos e insumos, como contou a deputada Zilá Breitenbach (PSDB-RS).

“A população não está totalmente conscientizada de que é uma pandemia. Estamos sem equipe por exaustão física e mental, além dos óbitos dos profissionais da saúde. Essa comissão tem uma missão muito importante, pois a população está querendo vacinar, o grande nó está na falta de imunizantes”, salientou Zilá. A deputada dissei ainda que temos que estimular o governo a comprar todo e qualquer tipo de vacina. Pois até o fim do ano não se sustenta uma sociedade tão desigual como a nossa.

Já a enfermeira e deputada sergipana, Goretti Reis (PSD-SE) afirmou que o estado também está esgotado e com falta de condições para atender todos e que “tem se agido com o objetivo de evitar fura-filas e fazer as vacinas chegar nas camadas mais necessárias, com monitoramento e feedbacks. Também fortalecendo o trabalho da CONAV”.

No Maranhão, a deputada Helena Duailibe (Solidariedade -MA) disse estar aproveitando a semana da Mulher para que “em todos os espaços de fala possa se reforçar a importância das medidas de higienização, distanciamento e do uso das máscaras, sem deixar de pensar nas pessoas sem trabalho, que estão em situação de miséria”.

Finalizando os discursos, a deputada Janete Sá (PMN-ES), falou sobre a importância de levar esse debate aos prefeitos, principalmente do interior, pois o maior problema de seu estado tem sido nesses municípios menores.

Assim, a reunião do próximo dia 16 deve ser transmitida nas redes sociais e TVs das Assembleias, da Unale e dos parlamentares, para alcançar e informar o maior número de pessoas.

Marina Nery / Asom Unale

Compartilhe!