Com o auditório lotado e clamores pelo fim da violência contra as mulheres, a Câmara Legislativa celebrou o Dia Internacional da Mulher em sessão solene na noite desta quarta-feira (8). Logo no início do evento, os participantes fizeram um minuto de silêncio pelas nove vítimas de feminicídio neste ano no DF.

“Na violência contra a mulher, a gente mete a colher”. Vestindo uma camiseta com este slogan, a governadora em exercício do DF, Celina Leão (PP), instigou a plateia a denunciar: “Quando o seu vizinho coloca o som alto, você chama a polícia; por que você não chama a polícia quando ouve os gritos de uma mulher pedindo socorro?”.

Celina disse que dos nove feminicídios, quatro vítimas nunca haviam registrado ocorrência contra os agressores. Ela defendeu, além das práticas da denúncia e do registro de ocorrência, o uso do botão do pânico, entre outras dispositivos e protocolos protetivos.

 “O feminicídio é um crime continuado”, acrescentou Celina, ao citar os 297 órfãos vítimas dos casos de violência no DF.

O presidente da CLDF, deputado Wellington Luiz, também chamou a atenção para a escala de violência contra a mulher: “Precisamos virar essa página”. Ele defendeu o respeito às mulheres em todas as situações e classificou como “covardes” os homens que as agridem.

À frente da Procuradoria Especial da Mulher da CLDF, a deputada Doutora Jane refletiu que este deveria ser um dia apenas de comemoração, mas a perda de nove mulheres em menos de noventa dias exige responsabilidade coletiva. “As mulheres não estão tendo o direito de existir, protestou Doutora Jane. Para a distrital, a educação e o exercício do respeito são os caminhos para o fim da violência doméstica.

Valorização e participação política

Atuação conjunta pelo fim da violência contra as mulheres foi o apelo da deputada Jaqueline Silva. Em outro ângulo, ela destacou a necessidade de mudar a realidade das mulheres pela “valorização” e argumentou pela igualdade de salários e condições, além de oportunidades de capacitação.

“Temos um dever muito grande na representação dessas mulheres”, considerou a deputada Dayse Amarilio, que defendeu o aumento da participação política feminina. Tanto Amarilio quanto a deputada Paula Belmonte exaltaram a sororidade. “Temos que nos unir”, salientou Belmonte, ao mencionar os diversos papeis femininos.

Entre outras autoridades, cumprimentaram as mulheres pela data a deputada federal Bia Kicis (PL-DF), a ex-deputada Júlia Lucy e a secretária da Mulher do DF, Giselle Ferreira. Ao término da solenidade, transmitida ao vivo pela TV Distrital e YouTube, com tradução simultânea em Libras, foram entregues moções de louvor a mulheres homenageadas pela CLDF.

Fonte: CLDF

Compartilhe!