A nova diretriz implantada este ano pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais – “ser a voz dos mineiros no enfrentamento das desigualdades e na promoção da cidadania” – já está presente em todas as ações do Legislativo no primeiro semestre de 2011, seja na atuação das comissões parlamentares, seja nas demais atividades institucionais.

 

A nova diretriz implantada este ano pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais – “ser a voz dos mineiros no enfrentamento das desigualdades e na promoção da cidadania” – já está presente em todas as ações do Legislativo no primeiro semestre de 2011, seja na atuação das comissões parlamentares, seja nas demais atividades institucionais. Isso é o que revela o balanço dos trabalhos da ALMG, a partir da posse da atual Mesa Diretora, realizada no dia 1o de fevereiro. Exemplo – O Ciclo de Debates Estratégias para a Superação da Pobreza, realizado em junho, foi a primeira etapa de discussões sobre o combate às desigualdades – uma das principais preocupações da ALMG, expressa em sua diretriz estratégica para o biênio -, e que terá sequência com o principal evento do ano:  o seminário legislativo sobre políticas públicas para a erradicação da miséria e o enfrentamento das desigualdades regionais, que será realizado em outubro, sendo precedido de 11 encontros regionais no interior do Estado. O evento também terá uma consulta pública na qual todos os cidadãos mineiros terão a oportunidade de contribuir com sugestões de políticas públicas. 

 

 

 

 

 

Números evidenciam trabalho -O balanço numérico do semestre mostra a intensidade do ritmo de trabalhos na ALMG. Até o último dia 8, as comissões realizaram ao todo 738 reuniões, das quais 141 foram audiências públicas e 48 no interior do Estado. Foram feitas ainda 46 visitas. Compareceram às reuniões 1.390 convidados. Somente a Comissão de Direitos Humanos ouviu 261 convidados oficiais e outros 258 denunciantes. A Comissão de Constituição e Justiça analisou 493 projetos de deliberação do Plenário.

Compartilhe!