Por: Faisal Karan

Deputado estadual e ex-secretário de Educação do RS

Alunos da rede pública de educação começaram a ser avaliados no Estado. O Programa Avaliar É Tri quer analisar o aprendizado durante a pandemia do coronavírus. A iniciativa será realizada de forma híbrida nas escolas, com material impresso e online. É neste formato, que mistura o digital e o presencial, que vejo a educação do futuro.

Protocolei o projeto de lei que torna o ensino híbrido permanente no Rio Grande do Sul. Desde o início da pandemia, o Governo do Estado investiu em tecnologia para manter ativa a educação. Foram comprados chromebooks para professores, foi realizado treinamento, disponibilizada internet móvel para alunos e a parceria com o Google trouxe a plataforma Google Sala de Aula como ferramenta oficial para realização das aulas remotas. A rede escolar recebeu um acervo com milhares de livros disponíveis através das plataformas Elefante Letrado e Árvore do Livro, além da Gamificada de Matemática. Precisamos aproveitar essa oportunidade que se apresentou, qualificar essa estrutura criada para atender os alunos durante o isolamento social e oferecer à comunidade escolar, novas diretrizes para o aprendizado.

O sistema híbrido não vem para substituir o contato fundamental do professor com o aluno, e sabemos das diferentes realidades no nosso Estado. A aplicação de conteúdo ocorrerá em sala de aula e a outra parcela se dará de forma online, utilizando meios digitais tradicionais e alternativos. Quem não lembra do Telecurso 2000? Um programa de televisão com projeto educacional, durante anos as aulas ajudaram muitas pessoas a completarem seus estudos. Ou ainda o Pré-Enem Seduc RS com aulas preparatórias para o Exame Nacional do Ensino Médio que foram transmitidas no ano passado pela TVE. Um projeto para a qualificação necessária dos estudantes para o ingresso no Ensino Superior, que participei da construção como secretário de Educação do Estado. Estes são apenas alguns exemplos para dizer que é possível complementar ações fora da sala de aula e trazer um novo aluno frente às exigências de uma sociedade que mudou com a pandemia.

Essa proposta traz um estudante mais protagonista no seu aprendizado com a busca pela melhor forma de aprender. E o professor se torna além de um educador, também um guia neste processo de evolução.

Assim como a avaliação da rede escolar precisou mudar para atender os alunos, está na hora de nos desafiarmos, de romper medos e inseguranças, e aceitar que a educação a partir deste momento será hibrida no Rio Grande Do Sul.