Uma audiência pública realizada na última segunda-feira (6) no plenário da Assembleia Legislativa do Amapá retomou as discussões da Comissão de Relações Exteriores e Defesa do Estado (CRE), na tentativa de se encontrar soluções para o grave problema existente na região de garimpos na fronteira entre o Amapá, Guiana Francesa e Suriname. Seis pessoas morreram e dezenas ficaram feridas durante confronto, no início do ano, na região.

Uma audiência pública realizada na última segunda-feira (6) no plenário da Assembleia Legislativa do Amapá retomou as discussões da Comissão de Relações Exteriores e Defesa do Estado (CRE), na tentativa de se encontrar soluções para o grave problema existente na região de garimpos na fronteira entre o Amapá, Guiana Francesa e Suriname. Seis pessoas morreram e dezenas ficaram feridas durante confronto, no início do ano, na região.

O encontro reuniu brasileiros e guianenses, representados por uma delegação de 16 autoridades, chefiada por Rodolphe Alexandre, presidente da Region, uma espécie de governador da Guiana Francesa. Também estiveram presentes deputados estaduais, o prefeito de Oiapoque, Agnaldo Rocha (PP), a prefeita de Saint Georges, Fabianne Mathurin Brovaro, os deputados federais, Bala Rocha (PDT), Evandro Milhomen (PTdoB), Luis Carlos (PSDB) e Davi Alcolumbre (DEM), além do senador Randolph Rodrigues (PSOL).

De acordo com o presidente da CRE, deputado Isaac Alcolumbre (DEM), uma comissão será formada por brasileiros e representantes dos países do Platô das Guianas. A comissão terá o prazo de seis meses para apresentar um plano de contigenciamento para solução da questão do garimpo.

Compartilhe!