Por: Franciane Bayer

Deputada estadual pela Assembleia do Rio Grande do Sul

Em meio à pandemia do novo coronavírus, uma onda de notícias negativas virou rotina no nosso dia a dia. Como já era esperado, vieram as internações, perdas de vidas, crise econômica, desemprego e isolamento. Difícil para qualquer um manter todos os dias a esperança e a fé em dias melhores. Mas o que percebo após cinco meses de distanciamento controlado e restrições necessárias é que precisamos fazer um esforço coletivo para ver pontos positivos onde tudo parece caos e, assim, ter ânimo, força e fé para seguirmos em frente. Precisamos encontrar, em algum momento, um lado bom em tudo isso, para podermos reconstruir nossas vidas.

É bem complicado falarmos em lado bom da crise quando as realidades de cada um são tão diversas. Mas precisamos acreditar e começar a espalhar otimismo. Como diz o ditado popular: tudo na vida tem dois lados. E a pandemia pode no ajudar a dar novos significados a muitas coisas em nossas vidas.

Diante de tudo isto, a solidariedade do nosso povo se destaca. Este é um lado bom. Cada um do jeito que pode, tem encontrado tempo e maneiras de ajudar quem mais precisa. Escuto muitas pessoas, mesmo sobrecarregadas com o “novo normal”, dizerem que estão tendo pela primeira vez a oportunidade de acompanhar de perto o crescimento dos seus filhos. Outras, aprendendo novas habilidade, outras dando mais valor à família, outras se redescobrindo, se reinventando. Estamos mais sentimentais, mais afetivos, valorizando mais os detalhes. Mesmo longe de muitos, estamos mais próximos.

A pandemia vem trazendo algo que estava sendo deixado de lado por todos nós, o senso de coletividade. E essa é mais uma razão para acreditarmos que a humanidade sairá mais forte quando tudo isso passar e estará mais forte e confiante para outras batalhas que possam vir.

As mudanças são inevitáveis e irreversíveis, seja na nossa vida pessoal, profissional ou qualquer outra. E perceber que há pontos positivos em tudo isto, extraindo sabedoria e aprendizado, fará com que sejamos melhores como pessoas, capazes de enxergar uns aos outros de forma mais humana e fraterna.