O tema Direitos Humanos e Saúde no Mundo do Trabalho: a questão das doenças ocupacionais foi debatido nesta quarta-feira (9), na Comissão de Cidadania e Direitos Humanos (CCDH). Participaram do debate parlamentares, autoridades e representantes de entidades sindicais.

O requerente da audiência e presidente da CCDH, deputado Miki Breier (PSB), destacou a importância do debate, principalmente em relação à prevenção das doenças ocupacionais. Ele sublinhou que muitos trabalhadores que possuem doenças oriundas do esforço repetitivo e da precarização do trabalho acabam na fila do SUS sem o atendimento necessário.

Ele frisou que a CCDH recebe constantemente denúncias de situações ligadas ao mundo do trabalho. “É uma função desta comissão considerar o trabalho e, fundamentalmente, a saúde como um grande direito humano e, portanto, precisa de cuidado da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos”, avaliou o parlamentar.

Fábio Bins Kalil, coordenador do Centro de Referência do Trabalhador do RS, apresentou números para mostrar a situação dos registros de acidentes de trabalho no Rio Grande do Sul. Em 2011, foram notificados 34.278 mil acidentes e doenças do trabalho. Entre as notificações mais frequentes estão LER/DORT (66%), sofrimento mental (9%) e doenças infecciosas (3%). Os profissionais que enfrentam maiores riscos são os metalúrgicos e os trabalhadores rurais.

Compartilhe!