Catarina Paladini – Dep. Estadual (PSB-RS)

A juventude sempre esteve à frente das grandes transformações


A juventude sempre esteve à frente das grandes transformações

Por: Catarina Paladini*

No mundo inteiro, a juventude sempre esteve à frente das grandes transformações políticas e sociais, tendo protagonizado mudanças profundas no comportamento, nas artes, na história, na cultura e na vida dos povos. No Brasil existem cerca de 50 milhões de pessoas consideradas jovens e no estado este segmento representa 26,5% da população. Na última década, a juventude brasileira comemorou uma série de conquistas políticas e sociais, tais como a institucionalização das Políticas Públicas para a Juventude, por meio da criação da Secretaria, do Conselho Nacional e do ProJovem, além da realização da Conferência Nacional da Juventude, que este ano terá sua segunda edição.

Sabe-se que por séculos o Brasil foi comandado pelos setores mais conservadores da nossa sociedade e a juventude exerceu um papel importante para as mudanças no país, estando presente nos principais momentos históricos e políticos. Durante os anos 60 e 70, os jovens brasileiros foram fundamentais na resistência e na luta contra a ditadura. Na década seguinte, estiveram presentes no processo de abertura política, com o movimento pelas “Diretas Já”. Na década de 90, os caras pintadas foram às ruas pedir o “Fora Collor”.

Nos últimos dez anos, houve uma ascensão política e social dos movimentos ligados à juventude em todo país. Iniciativas como a Rede Nacional de Juventude (RENAJU), o Diálogo Nacional de Movimentos e Organizações Juvenis, o Seminário Juventude e Projeto Nacional, além do Festival das Juventudes e do Pacto pela Juventude, foram fundamentais para esta mudança na sociedade brasileira.

Aqui no Rio Grande do Sul, vamos buscar políticas tão efetivas quanto às implantadas em âmbito federal durante o governo Lula. Neste sentido, a implantação da Frente Parlamentar em Defesa das Políticas Públicas para a Juventude, criada recentemente na Assembleia Legislativa, representa um passo importante para os jovens gaúchos. O mesmo se dá com a proposta de Emenda Constitucional que institui o Conselho Estadual da Juventude. Cabe lembrar que o Conselho existe atualmente por decreto, estando sujeito a alterações conforme a vontade política dos governos, como ocorreu em dois dos últimos três governos. Por isso, é necessário torná-lo constitucional.

Gradativamente, estamos ampliando os nossos canais de participação na sociedade. Como deputado e representante da juventude no estado, assumi o compromisso de fomentar ao máximo os fóruns de discussão sobre temas de interesse dos jovens. Esse é um desafio para todos que sonham com um mundo melhor para as atuais e futuras gerações.

*deputado estadual (PSB-RS)

Compartilhe!