Por Carlos Lopes

O deputado Artagão Júnior (PMDB) participou na segunda-feira (3), em Brasília, da quarta reunião ordinária da diretoria executiva da União Nacional de Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale). Na reunião foi discutida a unificação das eleições no Brasil. O deputado Artagão Júnior, 1º vice-presidente da entidade, e os demais membros, trabalham em uma frente que visa mobilizar os deputados federais pela aprovação de Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece eleições simultâneas – majoritárias e proporcionais – em todas as esferas.

Benefícios – De dois em dois anos, o Brasil gasta cerca de R$ 1 bilhão com a realização de eleições. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, a União gastou R$ 395 milhões nas últimas eleições, com investimentos em equipamentos, transporte de urnas, impressão de cadastro de eleitores e relatórios de votação e alimentação para mesários e presença das forças armadas em 401 cidades. A este valor, soma-se mais R$ 606 milhões de prejuízos aos cofres públicos com a isenção de impostos concedidos às emissoras de rádio e TV que transmitiram o horário eleitoral, de acordo com estimativa do site Contas Abertas. No total, em 2012, o país gastou pouco mais de R$1 bilhão para realizar as eleições.

“A unificação só trará benefícios. O eleitor votará em único dia para vereador e até para presidente da República. Os candidatos, ao serem eleitos, cumprirão o mantado até o final, sem sair no meio da sua gestão para concorrer a outro pleito, como deputados que deixam o mandato para disputar prefeituras e vice-versa. E ainda, a gestão passa a ser mais eficaz. Hoje os prefeitos e vereadores têm que dividir os seus mandatos com dois governadores e dois presidentes da República, em caso de não reeleição. Isso prejudica a gestão. O prefeito, por exemplo, se adapta aos programas de governo e, devido à nova eleição, tudo pode mudar e prejudicar todo um trabalho que já estava engrenado. Com a unificação, a economia ganha, a sociedade ganha”, argumenta o deputado Artagão Júnior.

Fonte: ALEP

Compartilhe!