alrn_downÉ celebrado hoje, em todo o mundo, o Dia da Síndrome de Down. A data chama a atenção da sociedade para a luta por direitos iguais, bem estar e inclusão das pessoas que nasceram com a síndrome. A data (21/03) faz referência aos três cromossomos número 21 que caracterizam esta ocorrência genética. Em 2012, por iniciativa do Brasil, a celebração entrou para o calendário oficial da ONU.

Através de iniciativa pioneira, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALRN) implantou um projeto que visa a inclusão de pessoas com síndrome de down no mercado de trabalho. Desde 2011, três jovens – Manuela Nely de Lima Araújo, 28, Kalina Santos Falcão, 23 e Filipe Medeiros Ramos, 25 – trabalham na ALRN e desempenham suas funções no Cerimonial e Plenário.

“Há três anos, começamos a trilhar o caminho da inclusão social na nossa Assembleia Legislativa, dando a oportunidade a jovens com síndrome de down de mostrarem seu valor, sua capacidade. Manu, Kaline e Felipe se integraram rapidamente ao cotidiano da Assembleia, cumprem suas atribuições com responsabilidade e dão lições diárias de que basta que lhes sejam dada uma oportunidade. A iniciativa pioneira da nossa Assembleia Legislativa ao agregar pessoas com síndrome de down no seu quadro de pessoal tem servido de exemplo para todo o Brasil e nós ficamos muito felizes porque estamos dando a nossa contribuição em favor de uma sociedade melhor”, afirmou o deputado Ricardo Motta.

A experiência bem sucedida já foi apresentada para assembleias legislativas de outros estados. O projeto de inclusão dos jovens com Síndrome de Down é fruto de uma parceria entre a Assembleia Legislativa, a Associação de Síndrome de Down do RN e Associação de Pais e Pessoas com Deficiência, de Funcionários do Banco do Brasil e da Comunidade (APABB). Para a presidente da associação, Glauciane Santana, a ALRN deu uma oportunidade ímpar aos jovens.

Fonte: Agência ALRN

Compartilhe!