A Comissão de Saúde da ALMG vai realizar uma audiência pública para debater a nova linha de crédito do BNDES para hospitais filantrópicos e entidades da saúde. O requerimento, de autoria do deputado Carlos Mosconi (PSDB), foi aprovado nesta quarta-feira (18/04). A vantagem do novo  financiamento é a redução da taxa anual de juros, que variava entre 16% e 13,5%, para 10%. Além disso, o prazo de pagamento aumentou de 6 para 10 anos.

“Vamos discutir o assunto em Minas para sabermos quantas entidades precisam realmente desse financiamento e o que é necessário para consegui-lo. Tentaremos renegociar a dívida dos hospitais filantrópicos do Estado. Essa linha de crédito ameniza a situação, mas não resolve o problema do endividamento da saúde”,  disse Mosconi, que também é o presidente da Comissão de Saúde da ALMG.

O novo crédito do BNDES foi assinado em Brasília, no dia 28 de março, no Congresso Nacional. O evento contou com a presença do deputado Carlos Mosconi, presidente da Frente Parlamentar de Apoio às Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas na área da Saúde de Minas Gerais.

Dívida. De acordo com a Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de Minas Gerais (Federassantas), a dívida dessas entidades no Estado chega a R$ 500 milhões. Atualmente, são 350 instituições filantrópicas em Minas, sendo que 30% delas estão endividadas. Desse total, 50 hospitais filantrópicos mineiros possuem dívidas que variam entre R$500 mil e R$5 milhões.

A reunião, segundo Mosconi, será marcada em breve, devido à urgência do tema. A audiência pública pretende contar com diretores e provedores de instituições de saúde, com a Federassantas, com a Frente Parlamentar das Santas Casas e com representantes do BNDES.

Texto: Janaina Massote – Assessora de Imprensa do dep. Carlos Mosconi (PSDB).

Compartilhe!