O Dia Internacional de Conscientização sobre a Epilepsia, o Purple Day (Dia do Roxo), é comemorado nesta sexta-feira (26), e todo o mês é reservado para ações que reforçam a data. O deputado Dr.Vicente Caropreso (PSDB), que é médico neurologista, foi o autor da Lei 16.657/2015, que instituiu o dia 26 de março como Dia Estadual da Conscientização sobre a Epilepsia em Santa Catarina.

Nesta data, profissionais de saúde, ativistas e familiares de pessoas com epilepsia vestem roxo para conscientizar a população sobre esse sério problema. A Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) apoia as atividades alusivas ao Dia do Roxo.

Dr. Vicente explica que a iniciativa surgiu em 2008, no Canadá, inspirada no relato de uma criança chamada Cassidy Megan, ao compartilhar seu sentimento de solidão por ter epilepsia.  “A cor roxa foi escolhida em alusão às lavandas, por ser uma flor ligada ao sentimento de isolamento, descrita pela criança canadense.”

O deputado afirma que o objetivo original da campanha era incentivar o diálogo sobre epilepsia, num esforço comum para reduzir os mitos e fazer com que as pessoas com epilepsia não se sentissem sozinhas. Ele salienta ainda que a data e a lei de sua autoria também têm como objetivo melhorar o acesso dos epilépticos a todas as formas de tratamento existentes, além de promover a inclusão profissional e a qualidade de vida. “Com esse dia, chamamos a atenção das autoridades e do público em geral. A ideia é alargar os direitos e o acesso das pessoas com epilepsia”, complementou.

O parlamentar lamentou que muitos pacientes ainda enfrentam dificuldades no acesso a exames e consultas especializadas em nível primário, o que prejudica o correto acompanhamento clínico.  “Mais de 70% dos pacientes têm um bom controle de crises, 20% deles convivem com essas crises e 10% tem muita dificuldade de controle. São os chamados casos refratários. Para este grupo estão reservadas outras opções terapêuticas invasivas de investigação e tratamento como as cirurgias de epilepsia”, observou.

Dr. Vicente também destacou as ações implementadas em 2017, quando foi secretário de Estado da Saúde, como, por exemplo, o início do projeto do Tele Eletroencefalograma, iniciativa que permite que o exame realizado em diversas cidades do estado seja diagnosticado de forma remota no Hospital Universitário em Florianópolis, assim como já acontece com os eletrocardiogramas.

Fonte: ALESC

Compartilhe!