Foto/Divulgação

A deputada Janete de Sá (PSB) relatou na sessão ordinária desta segunda-feira (19) mais um caso de feminicídio no estado. Dessa vez, segundo denunciou, a vítima foi Elivânia Aparecida da Silva, 35 anos, supostamente assassinada pelo ex-marido.

O crime ocorreu na manhã de domingo (18), na zona rural de Iúna, quando Elivânia estava na varanda da casa de um vizinho, acompanhada por amigos.  Segundo apuração da Polícia Militar (PMES), inconformado com o fim do relacionamento, o ex da vítima invadiu o local disparando vários tiros contra a mulher, atingindo-a no rosto e no tórax.

De acordo com informações veiculadas na imprensa, Elivânia estaria sendo ameaçada de morte pelo ex-companheiro desde que decidiu terminar o relacionamento. A informação foi repassada à polícia por uma filha da vítima.

Vizinhos disseram à equipe da PMES que atendeu a ocorrência que houve uma acalorada discussão do casal antes dos disparos feitos pelo homem apontado como autor do feminicídio.

Janete de Sá cobrou rigor nas investigações do caso e punição para quem praticou o crime. A parlamentar também fez um apelo para o fortalecimento das políticas de proteção à mulher, citando que este ano 64 foram assassinadas no Espírito Santo, 26 delas vítimas de feminicídio.

Morte em hospital 

O deputado Torino Marques (PTB) repercutiu matéria veiculada na imprensa sobre o falecimento de um idoso de 66 anos por suposta falta de equipe de cirurgia cardíaca no Hospital Evangélico de Vila Velha.

Conforme relatou, o paciente deu entrada no setor de emergência da unidade, onde teria aguardado várias horas pela chegada de algum cirurgião cardíaco durante a madrugada do último dia 14 de setembro.

Após o fracasso em várias tentativas de enfermeiros do hospital no sentido de localizar algum especialista, o idoso foi a óbito por volta das 4 horas.

Torino responsabilizou o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, pela crise da falta de cirurgiões cardiovasculares, dizendo que o chefe da pasta demitiu toda a equipe de especialistas da área que atendia pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Espírito Santo.

“No momento o Estado só dispõe de dois cirurgiões cardíacos para atender dois grandes hospitais da região metropolitana. Essa situação não pode continuar”, disse Torino, apelando ajuda do presidente da Comissão de Saúde, deputado Doutor Hércules (Patri), no sentido de mobilizar o colegiado em busca de uma solução para o fato.

Hércules argumentou que a Comissão de Saúde está mobilizada de forma permanente na tentativa de contribuir para o fim do impasse, e lembrou que inclusive já houve reunião com vários representantes da categoria dos cirurgiões para tratar do tema.

“Amanhã às 9 horas estaremos (o colegiado) reunidos com o presidente da federação que representa os hospitais (filantrópicos) do Espírito Santo, o dr. Fabrício Gaeede, para saber dele por que esse problema da falta de médicos especialistas em cirurgia cardiovascular ainda não foi resolvido”, anunciou.

O deputado disse, ainda, que todas as denúncias sobre a falta de cirurgiões cardíacos são encaminhadas pela comissão ao governador Renato Casagrande (PSB) e ao secretário Nésio Fernandes, além do Ministério Público (MPES) e entidades médicas.

Sobre relato anterior feito por Torino a respeito de residente que estaria atuando como cirurgião cardiovascular no estado, Doutor Hércules afirmou que o médico já foi denunciado e afastado da função.

Fonte: ALEES

Compartilhe!