CMAEE Centro Municipal de Atendimento Educacional Especializado Iva de Abreu Costa e Silva na Regional Cajuru. Curitiba, 13/11/2019.
Foto: Levy Ferreira/SMCS

Sirenes e campainhas sonoras de escolas públicas e privadas deverão ser substituídas por alertas musicais a fim de respeitar a hipersensibilidade sensorial de alunos com transtorno do espectro autista (TEA). Isso é o que propõe o Projeto de Lei (PL) 244/2022, de Capitão Assumção (Patri).

De acordo com a matéria, unidades que não tenham alunos com autismo terão até 30 dias para se regularizarem a partir da matrícula do estudante com essa condição.

O parlamentar classifica a medida como fundamental porque em pessoas com transtorno do espectro autista alguns sons causam desconforto e pânico. Assumção ressalta que alertas musicais são mais suaves.

Tramitação

Os deputados das comissões de Justiça, Educação e Finanças analisarão a matéria.

Fonte: ALES

Compartilhe!