As pessoas com deficiência visual em nível que as impeçam de fazer leituras, seja em papel ou computador, podem recorrer a um tipo de aparelho que capta a imagem formada pelo conjunto de palavras e a transforma em áudio, instantaneamente. Essa tecnologia assistiva foi criada em Israel, em 2015.

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada em 2019 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 3,4% da população (6,9 milhões) com mais de dois anos de idade sofriam de algum nível de deficiência visual.

Considerando tais dados estatísticos sobre a cegueira, o deputado Adilson Espindula (PDT) apresentou o Projeto de Lei (PL) 66/2023, que institui no Espírito Santo um programa voltado para atender as pessoas com deficiência visual e que tenham dificuldades para a leitura.

O aparelho, apelidado de “óculos falantes”, é um dispositivo eletrônico para ser acoplado na armação dos óculos. Tem um sensor óptico que capta a imagem e converte as informações em áudio, transmitido por um alto-falante pequeno instalado próximo ao ouvido da pessoa. O aparelho deve ser fornecido por demanda em biblioteca e escolas públicas capixabas, de acordo com a proposta.

Segundo o deputado, a medida já está em vigor em alguns estados da Federação. A instituição desse programa deve contribuir com a inclusão das pessoas com esse tipo de deficiência, enfatiza o parlamentar.

“O amparo do Estado a iniciativas como esta trará benefícios a pessoas com deficiência visual em âmbito estadual, incrementando o acesso ao acervo de livros e publicações variadas, promovendo a cultura, autoestima e qualidade de vida do estudante com justiça e igualdade no Estado do Espírito Santo”, argumenta Espindula.

As secretarias de Estado da Educação (Sedu); de Ciência, Tecnologia, Inovação; e de Educação Profissional (Secti) serão as responsáveis pela execução do programa.

A matéria começou a tramitar a partir da leitura no expediente da sessão plenária e segue para análise nas comissões Constituição, Justiça e Cidadania; de Educação; e de Finanças.

Fonte: ALES

Compartilhe!