O descuido com as medidas de prevenção contra a Covid-19 e o aumento do número de casos da doença são sinais de alerta para uma possível sobrecarga na demanda por leitos na rede de saúde. O cenário preocupante foi abordado por deputados em pronunciamentos na sessão ordinária híbrida desta terça-feira (17).

Acesse a cobertura fotográfica dos trabalhos

“Máscara, higienização, distanciamento social e cuidado. Precisamos fazer a nossa parte, antes que tudo se feche novamente”, disse Sergio Majeski (PSB). O pessebista ainda frisou que “pessoas conscientes” estão preocupadas com o aumento de contaminados com o Coronavírus. “Mas o que mais se vê são pessoas despreocupadas. Com a reabertura do comércio, bares, restaurantes, escolas, igrejas e outros, os cuidados higiênicos deveriam ser redobrados, pois há muito mais pessoas circulando”, advertiu. Ele citou o aumento de casos de professores contaminados no estado inteiro, depois da volta às aulas presenciais. “Foi noticiado, são mais de 300 casos”, ressaltou.

O deputado Dr. Emílio Mameri (PSDB), que por diversas vezes levantou esse tema em plenário, concordou com o colega. “Esses cuidados estão sendo negligenciados. Com o aumento do número de casos, daqui a pouco não terá UTI para todo mundo”, advertiu o parlamentar, que atualmente está com Covid-19 e faz tratamento domiciliar.

Também médico, Doutor Hércules (MDB) corroborou com a fala. “Essa doença é grave e mata. É preciso se prevenir”, alertou o presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa (Ales).

Uso de máscara

O deputado Sergio Majeski também comentou sobre a importância do uso de máscara e criticou parcela da população que negligencia tal medida preventiva. “Não é só para proteção própria, mas para proteger o outro também, porém as pessoas são irresponsáveis, usam a máscara no pescoço e queixo. Ainda precisamos usar a máscara o tempo inteiro, não sabemos quando poderemos relaxar”, avisou.

Emendas ao Orçamento

Assim como fez na última semana, o deputado Theodorico Ferraço (DEM) reclamou sobre a falta de emendas parlamentares no Orçamento do Estado, e chegou a se dirigir ao líder do governo, deputado Dary Pagung (PSB): “É necessário que haja ampla discussão e que pelo menos algumas emendas parlamentares possam ser apresentadas”, considerou.

Ferraço lembrou que, quando foi presidente da Mesa Diretora, a Casa fez uma grande economia para aprovar emenda destinada à construção de uma UTI em Iúna, obra que, no entanto, ainda não foi realizada. “Uma obra em benefício da saúde pública, e ainda não atendida”, disse. Ferraço ainda elencou obras como o contorno em Itaoca, estradas, recuperação de praias, entre outras que ainda aguardam realização.

Na última semana, o deputado anunciou que, como forma de protesto, só votaria a peça orçamentária – enviada pelo governo à Assembleia Legislativa e sob análise da Comissão de Finanças da Casa – se as emendas dele forem aprovadas.

FONTE: ALES
Compartilhe!