A Comissão de Agricultura, Pecuária, Pesca e Cooperativismo da Assembleia Legislativa promoveu nesta quinta-feira, 31, no auditório da Ocergs (Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul), no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, simpósio para debater ações visando a prevenção e enfrentamento das estiagens no Rio Grande Sul. “Não podemos nos preocupar com esse assunto apenas até a próxima chuva. Precisamos de políticas permanentes e medidas concretas, que evitem o desperdício de água e as eternas ações emergenciais, que amenizam, mas não resolvem o problema”, afirmou o presidente da Comissão, deputado estadual Luciano Silveira (MDB), na abertura do evento, que deve a mediação da jornalista Gisele Loeblen, do Grupo RBS.

O evento contou com a presença de diversos deputados da União dos Legislativos do Brasil (Unale), além de palestrantes de outros estados. O deputado Antônio Carlos Arantes (MG) fez uma apresentação sobre Armazenamento de Água. Já o deputado Rafael Bueno, secretário Executivo de Agricultura do Distrito Federal, apresentou cases sobre o canal de irrigação e tubulação de canal na região do cerrado. O deputado Marcelo Sobral, do Sergipe, fez uma exposição sobre a aquicultura e apresentou uma iniciativa de sucesso de produção de frutas em área irrigada.

O evento foi encerrado com um painel comandado pelo deputado Luciano Silveira, tendo como palestrante o Diretor de Financiamento, Proteção e Apoio à Inclusão Produtiva Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário, José Henrique Silva, que detalhou as novas regras para o Plano Safra 2023/2024. Ele antecipou que o COPOM (Comitê de Política Monetária) estuda flexibiliazar as regras para adesão das cooperativas ao Pronaf. Nos atuais moldes, apenas cooperativas que possuem mais de 75% de seus associados oriundos da agricultura familiar têm direito ao crédito diferenciado. Caso o COPOM confirme a alteração, este limite cairá para 60%, nos moldes do Plano Safra anterior.

Fonte: ALERS
Compartilhe!