campanha-seja-rosa-foto-eduardo-andrade-36Os depoimentos foram dados durante lançamento campanha da Seja Flor, Um Ato de Amor, da Bancada Feminina da Assembleia Legislativa de Roraima

A professora Fabíola Chaves, de 47 anos, tinha uma rotina corrida, e como a maior parte das mulheres, deixava os cuidados com a saúde em segundo plano. Mas isso mudou em 2015, quando foi diagnosticada com câncer de mama. “Em novembro, eu tive que parar. Quando estava em casa, toquei a minha mama e senti um módulo e aquilo me assustou”, explicou.

A professora conta que passou 12 anos trabalhando, poupando dinheiro para comprar uma casa. Porém teve que gastar este o recurso no tratamento médico. “Mas valeu a pena, porque estou aqui. Hoje vivo tudo aquilo que a vida me permite. Aprendi amar as pessoas, e quando chegar em lugar, a abrir um sorriso”, disse, ao relatar que nessa fase, o marido a abandonou e ela teve de ser forte para cuidar de si mesma. Um dos aprendizados, segundo ela, foi o de passar mais tempo com a família.

Assim como Fabíola, Lunar Magalhães, de 41 anos, e Marilena Mesquita, de 45, também compartilharam suas histórias de luta. Em comum, as três compartilham a alegria e vivacidade. Estas histórias foram contadas no plenário Deputada Noêmia Bastos Amazonas, da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), na tarde de quarta-feira (23), durante a programação da campanha “Seja rosa, um ato de amor”, realizada pela Bancada Feminina.

Este evento reforça as ações da campanha Outubro Rosa, mês de prevenção e combate ao câncer de mama. Segundo a Unacon (Unidade de Alta Complexidade em Oncologia de Roraima), 57 mulheres começaram o tratamento em 2018, e neste ano até o mês de setembro, foram registradas 64 entradas. Por mês, são realizados quatro mil atendimentos.

Fotografia trabalha autoestima de mulheres diagnosticadas com câncer

Eu me senti bonita”, com brilho nos olhos, expressou a costureira Claudeci Costa, de 58 anos, ao ver a sua imagem na exposição de fotografia no hall da Assembleia Legislativa.

Quando se passa por um tratamento contra o câncer de mama, a doença além de atingir a saúde, também afeta a autoestima. E para a costureira participar de uma sessão de fotografia, mudou a percepção de si mesma. “Porque estava me sentindo muito feia e para baixo. E agora eu me vi na foto, me achei tão bonita”, desabafou.

Ela foi diagnosticada com câncer em 2017, em estágio avançado, e encarou duas cirurgias. Mas após seguir o tratamento médico na Unacon, obteve a cura.

A sessão de fotografia reuniu 18 mulheres que superaram ou estão em tratamento contra o câncer de mama. O resultado desta produção pode ser conferido no saguão da Casa até novembro.

Campanha arrecada lenços e cabelos para pacientes

O Poder Legislativo por meio da Procuradoria Especial da Mulher (PEM), promove a campanha “Lenço ou Cabelo?”. A arrecadação dos lenços é uma iniciativa da Unale (União Nacional dos Legisladores e Legislativo Estaduais), que serão distribuídos às pacientes da Unacon.

A Assembleia Legislativa de Roraima é a única a arrecadar cabelos, para confecção de perucas, destinadas a Ong Rapunzel Solidária, que atende crianças, jovens e adultos em tratamento contra o câncer, e outras doenças que causam a perda dos cabelos.

Os interessados podem depositar as doações em uma caixa na sede do Chame, localizada na rua Coronel Pinto, nº 524, no Centro de Boa Vista, das 7h30 às 13h30, até o dia 29 de outubro. O prédio fica atrás da ALE-RR.

Texto: Vanessa Brito

Foto: Eduardo Andrade

FONTE: ALERR
Compartilhe!